Traficantes de droga nos EUA usam cada vez mais o Serviço Postal

Washington, 17 Out (Inforpress) – Os traficantes de droga utilizam cada vez mais o serviço de correios tradicional e o Serviço Postal dos Estados Unidos é um meio muito apreciado para o comércio ilegal, revela um relatório entregue no Senado e hoje divulgado.

O relatório do Inspector Geral do Serviço Postal dos Estados Unidos da América (EUA) – uma agência independente controlada pelo governo federal – demonstra a utilidade dos correios como forma de tráfico de droga, pela fiabilidade e pela segurança, ao garantir a inviolabilidade das cartas e pacotes.

“Traficantes de droga nacionais e internacionais anunciam, na sua promoção junto dos clientes, que utilizam o Serviço Postal para distribuir drogas ilícitas. De 104 ‘sites’ de drogas ilícitas pesquisados na ‘dark web’ e que identificavam o remetente, 92% (96) indicaram que usam o Serviço Postal. Na Internet de livre acesso, 80% (16) dos 20 ‘sites’ consultados davam conta do uso do Serviço Postal”, revela o relatório, entregue no Senado dos EUA em Setembro e agora tornado público.

Na investigação promovida pelo Inspetor Geral, detectou-se que a preferência dos traficantes de droga pelo Serviço Postal americano deve-se ao facto de, por lei, ser necessária uma procuração judicial para abrir qualquer carta ou pacote, sejam de proveniência nacional ou internacional.

Enquanto as empresas privadas de correio estão autorizadas a inspeccionar encomendas, sempre que haja alguma suspeita de irregularidade, o Serviço Postal tem restrições legais a esse nível, estipuladas pela sua natureza de agência independente do governo federal.

“Por exemplo, um traficante de cocaína reclamava ter utilizado o Serviço Postal para distribuir com sucesso cerca de quatro mil encomendas, dizendo que tinha tido 100% de sucesso”, indica o Inspector Geral no seu relatório, feito a pedido da senadora Claire McCaskill.

O controlo de tráfico de drogas pelo Serviço Postal é feito pelos Serviços de Inspecção Postal dos EUA, actualmente com muitas restrições legais, que o relatório considera serem promotoras da proliferação deste negócio ilícito através de uma agência oficial de encomendas de correio.

Por isso, o Inspector Geral recomenda que o Congresso dos EUA autorize que o Serviço de Inspecção Postal possa abrir e inspeccionar qualquer encomenda suspeita de conter drogas ilícitas, no Serviço Postal, mesmo sem autorização judicial.

O relatório recomenda ainda que o Congresso endureça o quadro penal para quem utilize o Serviço Postal para distribuir drogas ilícitas.

O Inspector Geral dos correios dos Estados Unidos considera ainda que as notícias nos média sobre a utilização do Serviço Postal para tráfico de drogas diminuem a confiança da população nos serviços desta empresa.

Inforpress/Lusa/Fim