Tarrafal: Projecto “Escola da Família” chega a Chão Bom para empoderar famílias com “dificuldades parentais”

Tarrafal, 15 Mar (Inforpress) –  O projecto “Escola da Família” da edilidade tarrafalense abre hoje mais um Pólo em Chão Bom, para orientar, capacitar e empoderar as famílias com dificuldades em assumirem responsabilidades parentais nesse município do interior de Santiago.

O projecto, cujo primeiro Pólo (experiência piloto), está inserido no agrupamento escolar no centro da cidade de Mangue, inaugurado em Dezembro de 2018, segundo a vereadora do Desenvolvimento Social, Eva Lopes, arrancou com 25 famílias que já recebem sete dos 13 módulos do curso com previsão do término para mês de Maio.

Em declarações à Inforpress, Eva Lopes fez um balanço “bastante positivo” da implementação do projecto “Escola da Família” e sublinhou que foram os “resultados animadores” do Pólo I que motivou a abertura de mais um, desta feita em Chão Bom na Escola Básica de Lém de Achada que já conta com 20 inscritas, cujas aulas arrancam na próxima terça-feira,19.

Entretanto, a autarca fez saber que o “grande desafio” é fazer com que além das mulheres, sobretudo as beneficiárias do Rendimento do Social Único e as que a edilidade tem dado algum apoio que os homens e outras mulheres “sem dificuldades financeiras” possam também passar a frequentar a “Escola da Família”.

É que segundo esta responsável, naquele município há pessoas com “posse financeira”, mas que precisam ser capacitadas em outros domínios da vida, por isso, avançou que vai ao terreno mobiliza-las para que possam ajuda-las a encontrar um caminho que as leva a viver com “mais dignidade e condições” adoptando atitudes e comportamentos no seio familiar, na comunidade e sociedade.

À semelhança do Pólo I, o curso vai ter a duração de quatro meses, divididos 13 módulos.

De entre os módulos constam temas como “Estilos e práticas parentais, monitoria positiva e modelo moral como prática educativa”, “Valores e suas implicações na Sociedade”, “Comunicação interpessoal na família”, “Desenvolvimento infantil”, “Importância de estabelecimentos de regras e limites, “Técnicas alternativas a punição reforço positivo”, “Protecção infantil”, “Prevenção dos acidentes na primeira infância”, “Alimentação” e “Doenças frequentes na primeira infância”.

“Toxicodependência: Alcoolismo e outras drogas – formas de prevenção” e o empreendedorismo, com ênfase na questão financeira na família e elaboração de projectos de vida, são outros temas a serem ministrados em duas sessões por formadores nacionais e por uma portuguesa que se encontra a trabalhar num projecto da Delta Cultura no Tarrafal.

Segundo a autarca, a formação, que já beneficiou nessa primeira fase 25 famílias, visa também capacitar o grupo em competências parentais para melhor orientarem as crianças, adolescentes e jovens e responder, de forma estruturada, às necessidades das famílias, bem como garantir uma educação de qualidade, desde a tenra idade, tendo por base uma parceria forte entre a escola e a família.

Pretende-se ainda com a implementação da Escola da Família, um dos cinco projectos sociais da edilidade tarrafalense, reduzir os casos de reincidência das diversas formas de violência contra crianças dentro da própria família, famílias capacitadas para prestar cuidados parentais de qualidade às crianças e mães e pais preparados para cuidarem dos filhos.

Segundo Eva Lopes, a ideia é no horizonte de dois anos formar pelo menos 200 famílias desse município do interior de Santiago.

A sessão de abertura deste Pólo contará com uma comunicação do presidente da Assembleia Municipal do Tarrafal, Silvino Lopes Évora, que vai proferir uma aula magna versando a centralidade da família no processo do desenvolvimento.

Na ocasião, haverá ainda testemunho das formandas do Pólo I da “Escola de Família”.

FM/FP

Inforpress/Fim