São Vicente: Comando de II Região Militar vence Jogos Militares Nacionais

Mindelo, 22 Dez (Inforpress) – O Comando da II Região Militar, na ilha do Sal, venceu os Jogos Militares Nacionais cuja cerimónia de encerramento ocorreu na manhã de hoje, no Mindelo, presidida pelo ministro da Defesa Nacional, Luís Filipe Tavares.

O Comando da II Região Militar foi a equipa vencedora dos jogos a nível global, que superou a “supremacia” dada à I região, em São Vicente, a meio das competições, e que recebeu o troféu das mãos do ministro Luís Filipe Tavares.

Este governante, que além de saudar a equipa vencedora, destacou a “excelente capacidade organizativa” desta actividade desportiva, que disse ir ao encontro do Programa do Governo.

“É intenção do Governo fazer com que desporto pela sua importância e transversalidade venha constituir um sector importante da governação”, garantiu o ministro, para quem a realização destes Jogos Militares Nacionais foi um “testemunho inequívoco” da contribuição das Forças Armadas nesta matéria.

Se Cabo Verde, segundo a mesma fonte, é hoje um “país livre e independente e democrático e que respeita os Direitos Humanos” mostra ser graças às Forças Armadas, pelo seu “desempenho, pela sua seriedade e pela forma como homens de ontem e de hoje souberam dignificar o seu país, tornando-o um dos mais respeitados a nível de África e do mundo”, assinalou.

Por essas razões que o Governo, ajuntou, reitera a sua “total disponibilidade” para continuar a apoiar o desenvolvimento da educação física no seio da instituição castrense.

Foi nesta senda, segundo o governante, que se assinou nesta sexta-feira um “importante acordo” de cooperação com a China para a aquisição de equipamentos e materiais diversos para as Forças Armadas, num montante aproximado de cinco milhões de dólares.

Além da China, di-lo Luís Filipe Tavares, o executivo assinou acordos de cooperação também com Portugal e Luxemburgo, e “muito brevemente” com a França.

Estas parcerias, que conforme a mesma fonte concretizam a intenção do Governo de “fazer de tudo” durante esta legislatura para “modernizar” as Forças Armadas e ainda mudar o estatuto dos militares.

Outras das personalidades que participou na cerimónia foi o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, Anildo Morais, que disse estar “convicto” de quem com este jogos, estão lançadas as bases para o “desenvolvimento e inserção qualitativa” do desporto militar, com vista a participação de Cabo Verde nas competições de desporto militar internacional.

O segundo lugar da competição coube à I Região Militar (São Vicente), a equipa que mesmo assim ostentou mais taças, e o terceiro à III Região Militar (Santiago).

A taça fair-play foi para a equipa da Unidade de Operações Especiais, que também levou a medalha de melhor atleta dos jogos, o tenente Jailson de Pina.

Durante a cerimónia de entrega de troféus para os vencedores de todas as modalidades, rendeu-se ainda uma homenagem ao atleta Anacleto do Rosário, da II Região Militar, com “mais participações” nos Jogos Militares Nacionais, no total de quatro, mas que disse colocar, nesta edição, um ponto final na sua carreira.

Destacou-se ainda, no evento, o atleta “mais velho” das competições, João Fonseca, de 46 anos, que num acto simbólico carregou a tocha, que seria passada do comandante da I Região Militar ao tenente representante da II Região Militar, que irá receber os Jogos Militares Nacionais de 2019.

A competição, que decorreu no Mindelo, de 22 até esta sexta-feira, comportava modalidades como atletismo, considerada a “prova rainha”, salto em comprimento, pentatlo militar e natação, corta-mato, lançamento de granada, tiro, superação de obstáculos, corrida de orientação, marcha forçada, futsal e boxe.

LN/AA

Inforpress/Fim