São Vicente: Campanha na Praia dos Achados termina quinta-feira com participação de cerca de 40 voluntários

Mindelo, 13 Mar (Inforpress) – A campanha de limpeza na Praia dos Achados, em Santa Luzia, que conta a participação de cerca de 40 voluntários, termina nesta quinta-feira, com o transporte do lixo recolhido ao Porto Grande, em São Vicente.

Todos os detritos recolhidos, segundo informações avançadas pelo Gabinete de Comunicação e Imagem do Governo à Inforpress, vão ser transportados pela embarcação Sea Shepherd, de 52 metros de comprimento, que deverá chegar ao Porto Grande do Mindelo, por volta das 14:30.

De seguida, este material, conforme a mesma fonte, vai ser transladado para a lixeira municipal em viaturas da Câmara Municipal de São Vicente, que é uma das parceiras da iniciativa.

Além da edilidade, a campanha de limpeza na Praia dos Achados, em Santa Luzia, teve o apoio do Ministério da Agricultura e Ambiente, da Biosfera I, da Global Sea Sheperd e mais cerca de 30 voluntários da sociedade civil.

A Praia dos Achados, situada a Norte da ilha deserta, é um dos pontos de acumulação de lixo, com “proveniências diversos”, mas também é uma das praias de “maior saída” de tartarugas para a desova, naquele sítio.

“Nesta praia, o lixo constitui uma grande ameaça às tartarugas marinhas que, ao procurarem a praia para a desova, ficam presos entre os lixos sem poderem voltar ao mar, acabando muitas vezes por morrer, pelo que a limpeza da praia se torna numa actividade anual de suma importância para a protecção dessa espécie”, assegura a mesma fonte, adiantando que, em 2018, só a tartaruga cabeçuda fez cerca de cinco mil ninhos, em Santa Luzia.

A avaliar, salientou, pelas indicações das embalagens do lixo que dão à costa das praias de S. Luzia, supostamente descartadas em alto mar e transportadas pelas correntes marítimas, se podem identificar diferentes proveniências do lixo, de mais de 15 países, entre os quais Portugal, Colômbia, Filipinas, Gana, Tailândia, Reino Unido, Malásia, Uzbequistão, Estados Unidos, França e Africa do Sul.

LN/CP

Inforpress/Fim