São Vicente: Assembleia Municipal unanime ao concurso para recrutamento de 10 polícias municipais

Mindelo, 14 Mar (Inforpress) – Os deputados da Assembleia Municipal de São Vicente votaram hoje em unanimidade a favor da proposta de abertura de concurso para recrutamento de dez polícias municipais, visando uma “melhor organização” da cidade do Mindelo.

Este recrutamento, segundo o vereador da Fiscalização, José Carlos da Luz, está a ser feito com antecedência para que São Vicente seja “um dos primeiros” a avançar com a efectivação da Polícia Municipal, cujos agentes devem passar pela instrução junto a formadores da Polícia Nacional.

“Nós queremos ter tudo organizado para quando se abrir a formação na Escola da Polícia Nacional, possamos ser os primeiros, como já é de costume”, disse este responsável, adiantando que esta “força” vai permitir uma “melhor organização” da cidade do Mindelo.

Com estes argumentos, a proposta para o recrutamento de dez policiais municipais que foi feita de forma verbal, teve o voto favorável de todos os eleitos, 11 do MpD, cinco da UCID, quatro do PAICV e uma da deputada independente Vânia Monteiro num total de 21.

Durante esta manhã na sessão ordinária da Assembleia Municipal, que decorre desde esta quarta-feira, foi ainda apreciada e homologada a proposta de delimitação de zonas, lugares e bairros de São Vicente, que obteve 16 votos a favor, entre os quais 11 do MPD, quatro do PAICV e uma da deputada independente.

“Votei a favor, porque acredito na bondade da medida e tudo que é bom para São Vicente é bom para mim”, salientou Vânia Monteiro.

O MPD, por seu lado, conforme o líder da bancada, Emanuel Miranda, acredita que com este instrumento se pode ter os serviços de gestão de território “melhor organizados”, de maneira que tenham capacidade de decisão em relação aos povoados, bairros e freguesias”, advogou na mesma senda defendida também pelo PAICV.

Quanto à UCID, os deputados optaram pela abstenção, tendo em conta, segundo o representante Lucas Monteiro, a falta de todos os documentos necessários para fazerem uma “avaliação criteriosa”.

Outro documento, que também esteve em apreciação foi a proposta de atribuição do nome do cidadão Nicolau Rosário a uma das ruas do Mindelo, que também fora aprovada com 18 votos a favor, dos quais 11 do MPD, cinco da UCID, um da deputada e um do PAICV, este mesmo partido que três dos seus deputados resolveram abster-se.

O pedido para se prestar este tributo, segundo a presidente da Assembleia Municipal, Fernanda Vieira, foi endereçado pelo antigo embaixador de Cabo Verde em Itália, Manuel Amante da Rosa, que defendeu que a ilha de São Vicente deveria lembrar de alguma maneira este filho que se tornou num “herói” na Itália, terra que escolheu para viver e morrer.

Nicolau do Rosário, como escreveu Manuel Amândio Rosa na nota justificativa, nasceu no Mindelo a 04 Setembro de 1894 e foi morto na cidade italiana de Génova a 24 de Abril 1945 em combate ao liderar uma pequena unidade de militares que lutava contra as forças alemães.

Com esta “proeza” tornou-se no “único negro” a ser sepultado no cemitério em Génova reservado exclusivamente aos combatentes da liberdade de pátria, em Itália.

Agora no Mindelo, deverá receber o nome da rua, onde morava enquanto viveu em São Vicente, neste momento denominada Rua 19 de Setembro, que estende, para os que conhecem, desde a Casa Miranda até à antiga Conservatória dos Registos.

LN/FP

Inforpress/Fim