Santo Antão:  Parque Natural de Tope de Coroa recebe primeiras intervenções no âmbito Fundo do Ambiente

Porto Novo, 07 Mar (Inforpress) – O parque natural de  Tope de Coroa, no Porto Novo, Santo Antão, criado há 16 anos, começou a receber as primeiras intervenções visando a conservação das espécies ainda existentes, no quadro projecto de implementação dessa zona protegida.

As intervenções, financiadas agraves do Fundo o Ambiente,  estão a cargo da Associação Luz Verde do Planalto Norte, onde se localiza o parque e incidem, entre outras, na construção da vedação da área protegida e sensibilização da comunidade sobre a importância dessa zona, muito afectada, ao longo dos anos, pelo pastoreio livre.

As acções, segundo o presidente da Associação Luz Verde do Planalto Norte, António Lima,  constam de um contrato-programa assinado, em Dezembro, com Fundo do Ambiente e delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), no Porto Novo, que permite “começar a trabalhar” na preservação desse parque natural, com uma área de 8.491 hectares.

No quadro do contrato, todos os anos, o Governo, através do Fundo do Ambiente, passa a disponibilizar uma verba à volta de 800 contos para a conservação e gestão dos recursos naturais existentes no parque natural de Tope de Coroa.

O início das intervenções acontece numa altura em que os ambientalistas têm estado a alertar para a ameaça de desaparecimento das especiais endémicas existentes no Tope de Coroa, por causa do abandonado dessa área protegida.

Um levantamento feito no âmbito do projecto de consolidação dos sistemas de Áreas protegidas de Santo Antão confirmou que o parque natural Tope de Coroa, aquando da sua criação, em 2003, dispunha de 21 espécies de plantas endémicas, que estão a desaparecer, devido à “pressão desmedida dos animais”.

Este parque,  que se encontra entre as sete maravilhas naturais de Santo Antão, apresenta uma paisagem selvagem, fortemente marcada por sucessivas erupções vulcânicas, testemunhadas pelos vários cones vulcânicos, aparentemente de idades diferentes e, em muitos casos, cobertos por uma vegetação típica (tortolho, losna e marcela).

Santo Antão, além dos parques naturais de Morosos, Cova/Paul/Ribeira da Torre e Tope de Coroa, dispõe ainda das paisagens naturais das Pombas (Paul) e Cruzinha (Ribeira Grande).

JM/AA

Inforpress/Fim