Santo Antão: Governo já tem solução para o problema do arrastadouro de Boca de Pistola – ministro (c/áudio)

Ponta do Sol, 31 Jan (Inforpress) – O ministro da Economia Marítima, José da Silva Gonçalves, anunciou hoje, na Ponta do Sol, que o Governo previu, no orçamento de Estado para 2019, a verba necessária para a solução imediata para o problema de Boca de Pistola.

Durante a visita que efectuou ao local na manhã de quarta-feira, o ministro José Gonçalves foi confrontado com vários problemas que afectam os pescadores e peixeiras da Ponta do Sol, com destaque para as dificuldades sentidas no acesso ao mar, sobretudo depois da danificação do arrastadouro local.

“O quebra-mar de protecção está partido em dois desde 31 de Dezembro de 1999 e até hoje não foi reparado”, reclamou Walter Fernandes, em nome dos pescadores da Ponta do Sol, exigindo medidas que minimizem os problemas que os operadores do sector enfrentam na saída para o mar e na entrada de Boca de Pistola, sobretudo ao arrastarem os botes.

“Dentro de dias nenhum pescador vai conseguir sair para o mar, se houver vagas”, disse Walter Fernandes que aproveitou a oportunidade para enumerar outras dificuldades, nomeadamente, a necessidades de formação para os jovens que queiram dedicar-se à actividade pesqueira, bem como a falta de gelo e de instalações de frio para conservarem o pescado que não conseguem fazer chegar, de imediato, junto dos consumidores.

José Gonçalves tranquilizou os pescadores presentes assumindo que o problema será resolvido assim que o mar permitir a realização das obras, até porque os recursos necessários já estão disponíveis para uma intervenção imediata.

É que, para o ministro José Gonçalves, tanto o ministro das Finanças, como a ministra das Infra-estruturas e ele próprio estão a trabalhar para criar melhores condições para a pesca artesanal, em vários pontos do país, mas assume que “Boca de Pistola é a prioridade das prioridades”.

“A senhora directora-geral dos Recursos Marinhos já está incumbida para dinamizar o processo porque são medidas de urgência”, disse o ministro.

Aquele governante anunciou, igualmente, a chegada de uma equipa técnica japonesa, já na primeira quinzena de Fevereiro, para a elaboração de estudos que permitam intervenções com vista a uma solução de médio/longo prazo em Boca de Pistola.


HF/ZS

Inforpress/Fim