Santiago Norte/Turismo: PM diz que requalificação urbana e desencravamento são condições para atrair o sector privado

Assomada, 11 Jan (Inforpress)- O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, considerou hoje a requalificação urbana e o desencravamento das localidades como “condições importantes” para que os investidores privados possam sentir incentivados e motivados a investirem no turismo em Santiago Norte.

Ulisses Correia e Silva fez estas declarações aos jornalistas, no final de uma visita de uma semana ao interior de Santiago, que culmina este sábado nos concelhos de São Lourenço dos Órgãos e São Salvador do Mundo e que contemplou hoje o município de Santa Catarina, a convite da Associação do Turismo de Santiago (ATS), com uma agenda virada para o turismo.

“O foco final é o produto final, que é criar condições para que os privados possam criar pequenos, médios e grandes estabelecimentos, onde podem receber turistas com qualidade, organização”, sublinhou, tomando como exemplo o empreendimento “Pousada Vassoura”, que visitou no final desta tarde.

O chefe do Governo, que considerou a Pousada Vassoura de uma “centro de referência”, acrescentou ainda que ela é exemplo daquilo que se deve multiplicar em todo Santiago Norte, num conceito de projecto-piloto, visando a criação de redes de oferta a partir de uma centralidade.

Para o primeiro-ministro, investimentos do tipo vão permitir que moradores, emigrantes e próprios investidores possam também fazer outros investimentos, até porque, segundo ele, há condições, pelo menos a nível da natureza e humanas.

Nesse sentido, propôs a criação de “pequenos estabelecimentos” para receber turistas, que passam pela preparação e adaptação de habitações, para que se possa receber turistas num ambiente familiar, e ainda pequenas mercearias, lojas de artesanatos, ou seja, tudo aquilo que são ofertas integradas que dão aos turistas experiências.

Tendo em conta que cabe ao Governo apenas criar “boas condições” e ser muito pró-activo, Ulisses Correia e Silva prometeu “tudo fazer” para que isso aconteça.

“Santa Catarina é um exemplo onde está-se a pulsar o empreendedorismo e a vontade de investir, não só por parte de investidores residentes, mas também dos emigrantes e de investimentos externos que querem fazer bons investimentos e com retorno para economia de Santiago Norte”, enfatizou.

Entretanto, para que isso aconteça, disse que é preciso que lhes seja garantido segurança, referindo-se a segurança turista, tendo pedido “tolerância zero”.

Na mesma linha de ideias, o presidente da Câmara de Santa Catarina, José Alves Fernandes, considerou o desencravamento de localidades como “importantíssimo” para esse município do interior de Santiago, quer para famílias que vivem nessas zonas com potencialidades agrícolas e turísticas, mas, sobretudo, para facilitar acesso dos turistas que as visitam.

O edil santa-catarinense, que levou o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, à localidade de Achada Leite, uma das zonas mais encravadas de Santa Catarina, conforme lembrou, tem uma das sete maravilhas do concelho (Pilão), mas muitos não a conhece, por causa do acesso deficitário.

Neste penúltimo dia de visita ao interior de Santiago, Ulisses Correia e Silva fez acompanhar de alguns ministros, dos presidentes do Fundo do Turismo, do IEFP, da Pro-Empresa e da Associação de Turismo de Santiago.

Em Santa Catarina, reuniu-se com a equipa camarária e visitou a Associação Comercial Agrícola, Industrial e de Serviços de Santiago (ACAISA), localidade de Achada Leite, obras da requalificação da orla marítima de Ribeira da Barca, projecto-piloto Vassouro (Pousada Vassoura), Telha dos Engenhos e Chã de Tanque.

FM/JMV

Inforpress/Fim