Santiago Norte: Próxima missão médica francesa vai priorizar formação em geriatria

Assomada, 07 Fev (Inforpress) – O Hospital Regional Santa Rita Vieira (HRSRV) em Santiago Norte e a equipa médica francesa fizeram hoje um “balanço positivo” desta primeira missão, e apontam formação na área de geriatria como prioridade da próxima missão.

Esta primeira missão de quatro dias de médicos franceses ao concelho de Santa Catarina (ilha de Santiago), que terminou hoje, enquadra-se no âmbito da parceria desenvolvida recentemente entre o Centro Hospitalar de Cannes (CHC), Associação Humanitária “Terre D’Azur’ e aquele estabelecimento de saúde.

Em declarações à Inforpress, a responsável de Central de Consultas do HRSRV, Janice Tavares, enalteceu o facto de num espaço de quatro dias, a missão ter realizado 143 pacientes nas áreas de pneumonia, ginecologia e obstetrícia, otorrinolaringologia (ORL), oftalmologia e ainda por terem levado a cabo acções formação para profissionais.

Para a próxima missão médica francesa, fez saber que vão manter as mesmas áreas e ainda reforçar a vertente formação, sobretudo na área de geriatria, tendo em conta que os médicos franceses notaram que há necessidades de geriatras (médico que trata as doenças que afectam os idosos) e casas para acolhimento de idosos.

Em jeito de balanço, informou, dos 143 atendimentos aos pacientes da Região Sanitária Santiago Norte (RSSN) nas diferentes áreas, tendo em conta que nesta primeira fase foi apenas “checklist“, a maioria foi encaminhada aos especialistas do hospital nas áreas de oftalmologia e ORL.

Por seu turno, a equipa do CHC, composta pelo Jérôme Couz (medicina geral), pela especialista em pneumonia e presidente da Associação Humanitária “Terre D’Azur’, Jeanne Meslier de Roca, Michel Beltran (ORL), Jaques Payan (oftalmologia), Benilde Lopes (enfermeira) e Fernanda Gomes de Carvalho (auxiliar de saúde), fez também um balanço positivo da missão.

Os especialistas elogiaram a organização do Sistema Nacional de Saúde de Cabo Verde, que vai desde postos de saúde, centros de saúde e hospitais regionais, mas lamentaram o facto de nessas estruturas de saúde não existirem informações das patologias dos pacientes e quem os tem acompanhado.

Por outro lado, mostraram-se surpreendidos com as estruturas, desde estradas, estruturas de saúde que, segundo dizem, “estão bem organizados”, diferentes de muitos países africanos por onde têm realizado missões do mesmo tipo.

O porta-voz da missão de médicos franceses, Jérôme Couz, aproveitou para alertar as autoridades cabo-verdianas sobre o aumento da população idosa, sobretudo doenças crónicas como diabetes e hipertensão arterial e algumas demências, que, segundo perspectivou, pode, no futuro, criar algum constrangimento a este sistema de saúde que diz estar “bem organizado” de momento.

Nesse sentido, Jérôme Couz propôs a criação de casas de acolhimento de idosos e de competência médica em geriatria, tendo-se mostrado aberto em ministrar formação para médicos cabo-verdianos, para que possam acompanhar os odiosos, cujos filhos não têm tempo para cuidar deles em casa.

Na ocasião, a missão deixou o compromisso de mobilizar materiais e equipamentos hospitalares e procedeu a entrega de alguns donativos ao HRSRV, na presença do director, Imadoeno Cabral, e direcção do hospital e profissionais de saúde.

FM/CP

Inforpress/Fim