Retrospectiva/São Salvador do Mundo: Ano 2018 marcado pelo desencravamento de mais duas localidades com potencialidades

Achada Igreja, 31 Dez (Inforpress) – A autarquia de São Salvador do Mundo conseguiu, ao longo de 2018, desencravar mais duas comunidades com potencialidades agrícolas, turísticas e da pecuária, ou seja, Mato Forte e Picos Acima, que se juntam a Covão Grande, onde os trabalhos foram inaugurados em 2017.

A estrada de Mato Forte, com 800 metros, foi realizada no âmbito do plano de mitigação da seca e do mau ano agrícola, e custou 3.000 contos e a de Picos Acima, com 2500 metros (primeira fase, 22 mil contos), cuja segunda fase, com uma extensão de 300 metros, falta ainda concluir, e foi financiada no âmbito do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA).

Segundo o edil salvadorenho, Ângelo Vaz, agora os agricultores vão poder colocar os seus produtos nos mercados de Assomada e da Praia em boa qualidade, e fazer com que, também, os jovens fixem residência naquela pequena aldeia, tendo em conta que ali há todas as condições para “serem felizes e realizados”.

Nas inaugurações, o edil apelou aos moradores a fazerem um “bom uso” da estrada, para que a edilidade possa desencravar outras localidades com potenciais agrícolas, um processo que é para continuar até o final do mandato, conforme prometeu.

Aquando das inaugurações, os moradores mostraram-se satisfeitos com tal obra, uma das suas reivindicações antigas, afirmando que a mesma, outrora de “terra batida” e hoje em “boas condições”, vai melhor as suas condições de vida e desenvolver aquela localidade que vive praticamente de agricultura.

O autarca, que faz balanço do positivo do ano ora findo, e que afirma que o desencravamento e promoção de acessibilidade está a ser uma realidade nesse município do interior de Santiago, aponta ainda a requalificação de uma rua em Achada Leitão, orçada em mais de 2000 contos, que contempla o calcetamento geral desta via, bem como iluminação, projecto financiado pelo Fundo do Turismo.

Além do desencravamento dessas comunidades (Covão Grande, Mato Forte e Picos Acima), que, conforme lembrou, foi “bandeira de campanha”, o edil realçou que das 86% de localidades encravadas, neste momento a situação é bastante satisfatória. A edilidade salvadorenha exalta também ganhos em habitação social e abastecimento de água.

Ainda no concernente ao desencravamento, prevê-se no “futuro próximo” chegar ao Pico Freire (obra em fase de conclusão), seguindo-se Leitãozinho (concurso lançado), Leitão Grande e Manhanga.

Nesse sentido, o executivo camarário declara que em 2020 o município vai ser o “mais acessível” do País, ou seja, “quase” desencravado na sua totalidade.

Nas áreas sociais, com ênfase no apoio a nível da habitação social, informou que foram construídas duas casas de raiz e reabilitadas outras tantas dezenas, de famílias sem recursos, anunciando que nos próximos dois anos serão construídas mais 30 (2019) e mais 40 (2020) até totalizarem 100 famílias, fazendo com que no final do mandato tenham um “parque habitacional diferente”.

Em termos de abastecimento de água, Ângelo Vaz lembrou que o município “está na cauda” da tabela a nível nacional e a nível da ilha de Santiago, anunciando, contudo, que através de um projecto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a localidade de Faveta vai ter ligação domiciliária a 100 por cento (%), localidade onde, outrora, se consumia água “imprópria”.

Ainda neste sector, fez saber que estão a trabalhar para levar a água a Mato Limão, Gelalo Ramos e também no próximo ano, em parceria com parceiros, resolver o problema em Purgueira

FM/JMV

Inforpress/Fim