Porto Novo: Edilidade vai investir três mil contos na recuperação da central fotovoltaica do Monte Trigo

Porto Novo, 29 Set (Inforpress) – A câmara do Porto Novo está a mobilizar, junto de parceiros, uma verba de três mil contos para a melhoria da central fotovoltaica do Monte Trigo, que tem estado a funcionar a “meio gás”, nos últimos meses.

A garantia é do vereador da edilidade portonovense, que responde pelo pelouro da energia eléctrica, Irlando Ramos, e informou que a edilidade está a trabalhar com os seus parceiros com vista a substituir os equipamentos e repor a normalidade na central fotovoltaica do Monte Trigo.

Esta central fotovoltaica, instalada em 2012, tem estado a funcionar, de forma deficiente, situação que está a preocupar as 75 famílias que vivem nessa localidade encravada no interior do município do Porto Novo, um problema que se deve, sobretudo, ao estado das baterias, muitas das quais em fase de degradação.

A população local tem vindo a alertar para o facto da central estar a funcionar, já há mais de seis meses, com algumas interrupções, não conseguindo assegurar a energia eléctrica 24 horas por dia, como habitualmente acontecia, o que tem gerado alguma apreensão no seio da comunidade.

Segundo Irlando Ramos, o problema está equacionado, estando a autarquia a mobilizar juntos dos parceiros a verba necessária, estimada em três mil contos, para resolver, “em breve”, a situação dessa unidade de produção de energia eléctrica.

A central fotovoltaica do Monte Trigo foi instalada pela empresa Águas da Ponta Preta (APP), com sede na ilha do Sal, no âmbito do projecto Sesam-er (Serviço Energético Sustentável para as populações rurais Isolados Mediante Micro-redes com Energias Renováveis em Santo Antão), financiado pela União Europeia.

Janina Cabral, técnica da APP, que coordenou o projecto, admitira, recentemente, à Inforpress a existência de “um problema técnico” na central, mas explicou que a situação dessa unidade deve-se, mormente, à fraca radiação registada nos últimos tempos em Monte Trigo, que obriga a uma gestão dessa unidade.

Monte Trigo, com 75 famílias, é uma zona piscatória isolada no interior do concelho do Porto Novo, onde se desenvolveu, em 2012, um projecto de electrificação 100% com energia solar, uma das primeiras experiências no domínio das energias renováveis desenvolvidas em Cabo Verde.

JM/ZS

Inforpress/Fim