Porto Novo: Edilidade congratula-se com aumento do número de alunos bolseiros por parte da Ficase

Porto Novo, 10 Jan (Inforpress) – O número de estudantes universitários, naturais do Porto Novo, Santo Antão, contemplados com bolsas por parte da Fundação Cabo-verdiana de Acção Social e Escolar (Ficase) aumentou, “significativamente”, este ano lectivo, informou a edilidade portonovense.

Uma lista publicada pela câmara do Porto Novo indica que mais de 50 alunos portonovenses, matriculados nas diferentes universidades nacionais, foram, este ano lectivo, contemplados com bolsas por parte da Ficase, facto que a autarquia enaltece, considerando que, “desta forma, aumenta-se as oportunidades de ingresso dos jovens deste concelho nas universidades”, em Cabo Verde.

“O número de jovens portonovenses na lista dos atribuídos continua a aumentar significativamente, abrangendo alunos de todo o concelho matriculados em diferentes universidades no país. Desta forma, aumenta-se as oportunidades de ingresso nas universidades, contribuindo, assim, para a formação de quadros e, consequentemente, o desenvolvimento do Porto Novo”, refere a edilidade.

A nível nacional, o número de bolsas de estudo atribuído pela Ficase, neste ano académico, a jovens matriculados nos cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento nas instituições de ensino superior nacionais, estima-se em mais de um milhar.

No caso do Porto Novo, a autarquia regozija-se com o “aumento significativamente” de bolseiros, este ano lectivo, com a atribuição de bolsas a 53 alunos, segundo a lista publicada.

A Câmara Municipal do Porto Novo tem estado, também, a atribuir subsídios a uma média, por ano, de 15 estudantes universitários deste concelho, permitindo-lhes frequentarem o ensino superior, no arquipélago.

Entretanto, o Governo já anunciou a instalação do ensino superior em Santo Antão a partir do próximo ano lectivo, com o arranque do Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Agrárias.

O Governo diz estar a trabalhar no processo conducente à implementação, já a partir de Setembro deste ano, do ensino superior em Santo Antão, que privilegie “os domínios científicos, directamente, relacionados com a vocação da ilha”.

Numa das recentes visitas efectuadas a esta ilha, o secretário de Estado da Educação, Amadeu Cruz, confirmou que, a partir do ano lectivo 2019/2020, estarão a ser promovidos os primeiros cursos superiores em Santo Antão, abarcando áreas como a agricultura, a água, a floresta, as energias renováveis, de entre outras.

JM/ZS

Inforpress/fim