Porto Novo/Alto Mira: Agricultores insistem na estrada de penetração para permitir escoamento de produtos

Porto Novo, 09 Jan (Inforpress) – Os agricultores em Alto Mira, mais precisamente das localidades de Faial e Dominguinhas, voltam a reclamar a construção da segunda fase da estrada de penetração desse vale para facilitar o escoamento dos produtos agrícolas.

Os lavradores dessas duas localidades lembram que o Governo se comprometeu a “levar” estrada para Dominguinhas, passando por Faial, duas zonas de grande potencial agrícola, mas cuja actividade tem sido muito condicionada pela falta de uma estrada.

Os produtos são transportados através dos animais (burros e mulas) e quando chegam ao mercado já não tem qualidade”, segundo António Duarte, um dos vários agricultores residentes em Faial que, insistentemente, têm estado a pedir a construção de uma via de acesso à essa localidade, onde se produz cenoura, repolho, batatas, tomates.

Este agricultor diz que as famílias, tanto em Faial como em Dominguinhas, têm sido “muito castigados” pelo isolamento, informando que grande parte da produção agrícola nessas duas zonas fica perdida, precisamente, porque não há como proceder ao escoamento dos excedentes.

“Estamos a produzir sem quaisquer resultados”, avança Jorge Dias, outro lavador do interior de Alto Mira, que lembrou que o Governo havia se comprometido a construir uma estrada no interior desse vale.

Para os agricultores de Dominguinhas e Faial, a construção da estrada de acesso constitui “o maior sonho”, não só dos lavradores, mas também das 50 famílias que residem em ambas as localidades.

O presidente da Associação dos Agricultores em Alto Mira, Jailson Neves, tem estado, também, a alertar para o problema de encravamento desse vale, um dos mais produtivos da ilha de Santo Antão, com enormes potencialidades a nível da agricultura e turismo

O Governo, no quadro do programa de desencravamento das localidades com potencial económico em Santo Antão, já confirmou a construção, neste ano de 2019, da estrada para Chã de Branquinho, outra zona agrícola encravada no interior do Porto Novo.

JM/ZS

Inforpress/fim