População bravense inteira-se sobre o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável 2017/2021

Nova Sintra, 09 Jan (Inforpress) –  A população bravense já dispõe de informações sobre o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) 2017/2021, assim como do Orçamento de Estado para 2019, fornecidas num encontro de socialização presidido pelo vice-primeiro-ministro e ministro das finanças, Olavo Correia.

Em torno da apresentação dos dois documentos, ocorrida no final da tarde de terça-feira, suscitaram-se diversos debates e questões, advindos dos anseios em ter respostas concretas sobre os investimentos a serem feitos na ilha.

Para o apresentador do PEDS, este é um documento “estratégico” que contempla uma visão em relação ao futuro do país.

Olavo Correia explicou ainda aos presentes os motivos da inserção do arquipélago na economia mundial, para que o país possa ser aberto ao mundo, no ponto de vista da colectividade, a nível tecnológico, dos conhecimentos linguísticos, do quadro legal.

“Não podemos ter medo do estrangeiro, das inovações e de outras culturas. Temos uma cultura muito forte e nesse cruzamento de culturas, a cultura cabo-verdiana se afirma cada vez mais como cultura própria”, disse o vice-primeiro-ministro, adiantando que, o país isolado não tem o conhecimento suficiente em nenhuma das áreas, para potenciar o desenvolvimento.

Segundo a mesma fonte, neste momento Cabo Verde já não está preocupado somente com o acesso à educação, mas também com a qualidade da mesma.

O governante falou e explicou ao público as sete plataformas elegidas para serem os pilares da missão do PEDS, começando pela plataforma marítima, onde salientou que o país é constituído mais por mar do que por terra e afirmou que há mais potencial económico no mar do que na terra.

As outras plataformas apresentadas versam a plataforma aérea, a plataforma do desenvolvimento do turismo, a plataforma financeira, a digital, a da indústria e do comércio e por fim, a plataforma étnica.

Olavo Correia deixou claro que o objectivo do Governo é assegurar a inclusão social e melhorar as condições de vida da sociedade cabo-verdiana e reforçar a cidadania do país.

Assim, o ministro pede aos líderes cabo-verdianos que sejam líderes transformadores e não líderes populistas. Pois, só assim, poderão promover o desenvolvimento e assegurar o potencial de cada espaço.

Perante a abordagem feita pelo governante, os presentes elencaram um conjunto de preocupações, relacionados com a educação, diminuição da população, saúde e transporte.

De todos os problemas apresentados, o que suscitou maior debate foi em torno da diminuição da população, onde foi sugerido ao ministro que criem alguma solução a nível do Governo central, no sentido de reterem os jovens na ilha, criando incentivos para as funções públicas, como subsídios de insularidade, como forma de manter uma estabilidade demográfica.

Caso contrário, segundo os participantes desta socialização, de nada serve os investimentos que estão sendo feitos na ilha, se a população vai diminuindo dia após dia.

Perante essas inquietações, Olavo Correia garantiu que apresentará ao Executivo esta preocupação, no sentido de pensarem numa solução para combater esta diminuição da população, principalmente no seio da camada jovem.

MC/ZS

Inforpress/Fim