PAICV diz que há queda de credibilidade do Governo pelo não cumprimento das promessas eleitorais

Cidade da Praia, 10 Nov (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-Oposição) disse hoje que há uma queda de credibilidade do Governo pelo não cumprimento das promessas eleitorais, quebra de confiança entre os cabo-verdianos e a actual maioria.

Esta é umas constatações saídas do Conselho Nacional do PAICV que arrancou hoje na Cidade Velha, tendo como um dos propósitos analisar a situação política nacional.

Segundo o deputado e porta-voz desse partido, Francisco Pereira, para além da queda de credibilidade e de confiança tem-se verificado “uma profunda” falta de diálogo, a degradação da situação económica e social do país, facilmente comprovada com a deterioração dos principais indicadores económicos e queda nas avaliações dos organismos internacionais.

“Tem-se verificado uma grande falta de transparência na condução dos negócios do Estado, por exemplo, os dossiês dos transportes aéreos e marítimos, agindo conscientemente ao arrepio da lei”, exemplificou o deputado para quem denota-se ainda a recusa na prestação de contas, fuga aos mecanismos de fiscalização e controlo por parte do Governo que “não acautela os superiores interesses nacionais.”

No entanto, conforme o eleito do PAICV pelo Círculo da Europa, o Conselho Nacional avaliou positivamente o esforço das organizações, das estruturas em todas a regiões, reconheceu o “desempenho firme e o engajamento dos militantes em todo o território nacional e na diáspora e o esforço da consolidação séria, responsável e eficaz.”

O desempenho do grupo parlamentar também esteve em análise, tendo o CN concluído que este órgão tem contribuído para o esclarecimento da opinião pública e para introduzir na agenda política questões que preocupam os cabo-verdianos no país e na diáspora, através dos debates parlamentares.

O Conselho Nacional também debruçou sobre a proposta que cria as Regiões Administrativas, que apesar de ser introduzida na agenda para debate pelo MpD, foi aprovada com votos de dois deputados do PAICV.

Para o CN tratou-se de “desentendimento grave que levou à viabilização de uma iniciativa estruturante, que por sua vez exigia negociação, entendimento e construção de consensos”.

Este domingo, o Conselho Nacional continua com análise e aprovação do relatório e plano de actividades e o orçamento do partido para o ano de 2019, análise da proposta da criação do Gabinete de Estudos do PAICV, discussão do Projecto de Lei de Revisão Constitucional, análise do nível de implementação das directivas da direção nacional pelas estruturas de base, entre outros.

O partido deverá lançar ainda o “Manual de Formação” do PAICV e relançar o seu Site– www.paicv.cv.

CD/FP

Inforpress/Fim