Oficiais da Guarda Civil espanhola ministram curso de busca e resgate (c/áudio)

Cidade da Praia, 12 Fev (Inforpress) – Um grupo de 45 elementos da Polícia Nacional e da Guarda Costeira participa hoje, na Cidade da Praia, num curso de formação em busca e resgate, no âmbito marítimo, ministrado por oficiais da Guarda Civil espanhola.

A abertura da formação, realizada no quadro do Projecto Blue Sahel, co-financiado pela União Europeia, ocorreu na manhã de hoje no Centro de Formação da Polícia Nacional.

O projecto “Blue Sahel”, a ser implementado pela Guarda Civil espanhola durante 36 meses em diversos países, tem por objectivo, segundo a Embaixada da Espanha em Cabo Verde, contribuir para o fortalecimento das capacidades das autoridades no controlo das fronteiras, na gestão dos fluxos migratórios nos países localizados ao longo da rota de África Ocidental e na luta contra a criminalidade transnacional, nomeadamente, o tráfico de migrantes e tráfico de seres humanos.

Assim, disse a mesma fonte, o projecto facilitará a cooperação entre os organismos de controlo fronteiriço e de migração dos países participantes, e pretende formar 45 elementos dos serviços competentes da Policia Nacional e da Guarda Costeira para que possam transmitir posteriormente os conhecimentos adquiridos a outros colegas, contribuindo para criar “melhor informação” sobre os riscos da migração irregular.

No seu discurso na abertura da formação, o director nacional da Polícia Nacional, Emanuel Estaline Moreno, disse que se está perante mais um “momento alto” de troca de experiências e uma oportunidade para “incrementar ainda mais” a cooperação bilateral existente entre a Policia Nacional da Cabo Verde e a Guarda Civil de Espanha.

Segundo aquele responsável, o facto de Cabo Verde se situar numa “zona estratégica no atlântico” impõe que as instituições com responsabilidades acrescidas na protecção e segurança do sector marítimo e não só estejam prontas para, através dos meios disponíveis, acudirem em situações de necessidades do tráfego marítimo no mar territorial e em alto mar.

Os mesmos, segundo Emanuel Estaline Moreno, terão ainda que estar atentos ao salvamento de pessoas que estejam em perigo, segundo as convenções internacionais marítimas ratificadas.

Ainda no seu discurso, exortou aos formandos o “total engajamento”, na esperança de que, referiu Emanuel Estaline Moreno, estes saberão aproveitar esta oportunidade para o “almejado up-grade das matérias”, visando prestar ajudas às populações e socorro aos sinistrados, em caso de emergência.

“Auguro que o curso seja bem-sucedido, que no final tenhamos profissionais aptos a altura de cumprir as obrigações que legitimamente lhes forem solicitados”, finalizou.

GSF/AA

Inforpress/Fim