Novo PCA quer transformar os Correios numa empresa digital onde impera o “e-commerce”

Cidade da Praia, 18 Jan (Inforpress) – O presidente do Conselho da Administração dos Correios de Cabo Verde comprometeu-se hoje a trabalhar para transformar os Correios de Cabo Verde numa empresa digital, onde impera o “e-commerce” e novos serviços ligados ao comércio electrónico.

Isidoro Gomes deu essa garantia à imprensa, à margem do acto de empossamento dos novos corpos administrativos dos Correios, numa cerimónia presidida pelo ministro do Turismo e Transportes e ministro da Economia Marítima, José da Silva Gonçalves.

“Mas antes de fazer isso, internamente, é preciso modernizar, sistematizar e automatizar um conjunto de processos, garantir eficiência operacional e mexer na nossa cadeia de distribuição”, disse.

Tudo isso, realçou, para poder corporizar uma das visões do governo que é transformar Cabo Verde numa plataforma logística, pretensão que considera “casar muito bem” com a experiência dos Correios que, no seu entender, possuem estruturas que possam dar vazão a essa visão.

De acordo com o novo PCA dos Correios de Cabo Verde, para dinamizar a empresa na vertente digital terá de fazer parcerias estratégicas com instituições nacionais e internacionais, sublinhando que já existem “coisas interessantes” para avançar neste sentido.

Sem quer adiantar mais detalhes sobre os projectos que vai levar para a operacionalização dos Correios, Isidoro Gomes referiu-se também, sobre a possibilidade de incluir e oferecer produtos básicos do sistema da bancarização, justificando tal medida com o facto de a empresa ser uma das instituições financeiras mais antiga do país.

“O que vamos fazer, de momento, é modernizar o plano de negócios dos Correios para os próximos três anos. Para isso, vamos desenhar um plano de transformação operacional, com alguma urgência e abrangente, visando a próxima etapa de crescimento da empresa”, acrescentou.

O PCA dos Correios, que promete uma nova etapa de parceria com os colaboradores da empresa, lembrou que caso não houver crescimento e resultados positivos será difícil cumprir os compromissos assumidos.

“É possível a existência de um ambiente social cooperativo saudável entre a gestão cúpula, a intermédia e os colaboradores e, para isso, temos de negociar com os trabalhadores e assumir compromissos para com estes que são os activos da empresa”, ajuntou.

O ministro do Turismo e Transportes e ministro da Economia Marítima, José da Silva Gonçalves, ao usar da palavra, manifestou o “reconforto” do governo que acredita que a equipa ora empossada vai poder cumprir com os novos desafios dos Correios de Cabo Verde.

Conforme aquele governante, o transporte de cargas está sendo uma missão para qual os correios possam direccionar os seus serviços.

“Esta é a empresa mais antiga do país, com 170 anos de serviço, por isso, acreditamos que vai dar um salto e passar do velho negócio para novos desafios. A área do comércio digital está a surgir com muita rapidez, existem hoje enormes companhias no mundo nesta área, pelo que estamos a pensar qual o papel dos Correios nesta era digital”, informou.

E porque o novo PCA é uma pessoa da área, José da Silva Gonçalves asseverou que “ninguém melhor do ele para estar no lugar certo”.

Fazem parte do Conselho da Administração dos Correios de Cabo Verde o administrador executivo Cipriano Carvalho e o administrador não executivo, Almiro Rocha.

PC/JMV

Inforpress/Fim