Ministro da Cultura lamenta morte do músico e compositor mindelense Djack Monteiro

Cidade da Praia, 14 Mar (Inforpress) – O ministro da Cultura lamentou hoje o passamento do músico, compositor e intérprete das noites mindelenses, Joaquim (Djack) Monteiro falecido esta quarta-feira, aos 89 anos no Mindelo, vítima de doença prolongada.

Segundo uma nota publicada na página oficial do facebook do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC), com mensagem de condolências o ministro da Cultura lamenta profundamente este trovador que com as suas composições “Regresso”, “Judith” contribuiu para a elevação também da morna, candidata a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

O MCIC, avança a mesma fonte, endereça ainda as suas mais sentidas condolências aos familiares do malogrado compositor.

Djack Monteiro faleceu em vésperas de completar 90 anos e era conhecido pela sua voz “límpida e poderosa” na interpretação de mornas e coladeiras do folclore musical do arquipélago, onde sobressai a morna “Judite”, uma “imagem de marca” do falecido cantor.

Compôs ainda alguns temas, mas ao longo da sua carreira deixou registado trabalhos em LP e CD, para a posteridade, entre eles “De Mindelo e suas crianças à UNICEF” e “Sentimento”, para além de dois discos com Cesária Évora, na década de 60.

Foi ainda homenageado na zona onde sempre residiu, a Ribeira Bote, durante uma edição do Morna Jazz Festival, iniciativa, entre outros, do artista Manú Rasta.

A cerimônia fúnebre do cantor Djack Monteiro realiza-se este sábado, a partir da sua residência na zona da Ribeira Bote, São Vicente.

CM/FP

Inforpress/Fim