Jovens com baixo nível de escolaridade ou excluídos do sistema participam em formação de serralharia de alumínio

Cidade da Praia, 11 Fev (Inforpress) – Vinte jovens com baixo nível de escolaridade ou excluídos do sistema de ensino dos bairros de Casa Lata, Fonton e Fundo Cobon, na Cidade da Praia participam em acções de capacitação de serralharia de alumínio – iniciação profissional.

Em declarações à Inforpress, a coordenadora pedagógica do Centro de Formação Profissional da Praia (CFPP), Raquel Santos, explicou que esta acção enquadra-se no âmbito da parceria entre o Centro de Emprego e Formação Profissional da Praia (CEFPP), Política Integrada, Educação, Formação e Emprego (PIEFE) e Cáritas de São Paulo Apóstolo.

Segundo esta responsável, o objectivo é preparar e capacitar os jovens para o mercado de trabalho em Cabo Verde tendo ajuntando que os mesmos terão a oportunidade durante o período de quatro meses explorarem a área e adquirir conhecimento que lhes servirão na práctica.

“É uma formação de 350 horas com componente virada à prática da profissão do saber estar e saber fazer. Os formandos têm que conhecer as ferramentas, e, neste momento estão, a aprender confeccionar portas, grades e, depois disso, serão ensinados a fazer a instalação no terreno”, explicou.

Além dessa vertente, o CFPP, de acordo com a coordenadora, tem em curso outros pacotes de formação profissional, nomeadamente, estética, técnicas de panificação de produtos pastelaria e culinária, cuja exigência é 8º ano de escolaridade, cabeleireiro com perfil de entrada mínimo de 6ª classe, informática com o perfil de entrada 10º ano, canalização, entre outros.

Para este ano, adiantou a mesma fonte, o centro ambiciona ministrar cursos em mandarim, língua inglesa e também realizar formações nas áreas de gestão contabilística, instalações eléctricas e infra-estruturas de telecomunicação em edifícios, cabeleireiro design multimédia, canalização e extração predial.

Disse ainda que no âmbito do empreendedorismo jovem o CFPP tem promovido acções sobre o autoemprego, um molde que considerou como sendo transversal a todos os cursos oferecidos na instituição como forma de sensibilizar os jovens sobre a importância da criação do seu próprio negócio para a promoção do autoemprego.

Raquel Santos sublinhou o papel desempenhado pelo centro, tendo a este propósito mostrado satisfeita e indicado que cerca de 75 por cento dos jovens que beneficiam das formações ministradas no centro conseguem concluir estágios e muitos conseguem integrar no mercado de trabalho.

Entretanto, frisou que o desemprego tem afectado a camada juvenil e que, visando debelar este mal, o centro tem uma “meta ambiciosa” de integrar cinco mil jovens no programa de estágios profissionais, considerando esta medida como forma de abrir portas aos formandos para o mercado de trabalho.

O Centro de Emprego e Formação Profissional da Praia tem como missão a promoção e execução das acções de formação profissional, para satisfazer as necessidades do mercado de trabalho, contribuindo para a promoção do emprego digno, qualificação relevante e atitude empreendedora, visando autonomia individual.

CM/CP

Inforpress/Fim