Ilha do Sal: Autarca acautela que consumo abusivo do álcool é um grave problema para Cabo Verde (c/áudio)

Espargos, 15 Mar (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Sal acautelou, hoje, que o consumo abusivo do álcool é um grave problema para Cabo Verde porque produz um “impacto terrível” na saúde das pessoas, defendendo uma luta sem tréguas contra a problemática.

Júlio Lopes fez essas declarações na abertura do ateliê de socialização da Lei do Álcool, a que presidiu, promovido pela Comissão de Coordenação do Álcool e outras Drogas (CCAD), em parceria com a autarquia local.

“Isto é um bom sinal porque mostra que Cabo Verde está a despertar-se para um problema muito grave que é a questão do álcool. Temos que ter cabo-verdianos comprometidos, saudáveis, motivados e trabalhadores, porque o trabalho é que faz o desenvolvimento e gera riqueza com o apoio do capital”, sublinhou.

Fazendo essa leitura, e referindo-se que o álcool é um dos problemas que afecta a componente do trabalho, o autarca chama a atenção para o perigo que o seu consumo excessivo representa para o país.

“O álcool é um grande perigo para Cabo Verde. Tem um efeito terrível ao nível familiar, da própria saúde, a nível da produtividade no trabalho (…), são dramáticos os dados que existem sobre a mortalidade em Cabo Verde, sobretudo nos homens”, concretizou, lamentando a perda de pessoas e amigos que “já se foram”, morreram, por causa do álcool.

Júlio Lopes apontou, por outro lado, que é um “imperativo” económico, social, familiar, e até ético, lutar contra o uso abusivo do álcool.

“Um governo, ou um país, não pode ficar impávido, e permitir que isto possa acontecer. E, neste contexto, podemos assinalar como boas medidas a campanha ‘Menos Álcool mais Vida’, protagonizada pela Presidência da República”, realçou o autarca.

Neste contexto, disse que também a Câmara Municipal do Sal tem tomado algumas medidas nesse sentido, incitando, por exemplo, os grupos desportivos a fazerem campanha contra o uso abusivo do álcool.

“Na assinatura de protocolos com os grupos desportivos, incrementamos o apoio, mas cada grupo desportivo tem que fazer campanha contra o uso abusivo do álcool, e nos seus estabelecimentos, reduzir no máximo a venda e consumo do álcool”, notou.

Ainda, com vista a essa luta “sem trégua”, o autarca informou que a câmara está a suspender licenças aos quiosques e ‘roulottes’ no que tange à venda de álcool.

“Não podemos permitir que o álcool possa destruir a nossa juventude. Por isso, todas essas e outras medidas que o governo e outras instituições possam implementar, merecem o apoio de toda a sociedade cabo-verdiana”, manifestou.

“Temos de estar motivados para continuar essa luta sem trégua contra o uso abusivo do álcool para defender o nosso país, a nossa família, a saúde das pessoas, e a nossa juventude”, reiterou, concluindo.

O ateliê de socialização da Lei do Álcool tem como propósito contribuir para que as instituições locais e a população colaborem na implementação e fiscalização da nova lei e, simultaneamente, sensibilizar os diferentes actores locais para a necessidade de uma acção conjunta nesta matéria.

A norma faz parte de uma estratégia, de um plano nacional multissectorial do combate aos problemas ligados ao álcool, que prevê várias áreas de intervenção, nomeadamente à prevenção, tratamento e reinserção social, entre outras áreas consideradas importantes.

SC/CP

Inforpress/Fim