Citi-Habitat quer avançar com a produção de conhecimentos sobre o associativismo em Cabo Verde – presidente (c/áudio)

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – Após 30 anos ao serviço de desenvolvimento de Cabo Verde, o Centro de Inovação em Tecnologias de Intervenção Social para o Habitat (Citi- Habitat) quer avançar agora para a fase da produção de conhecimentos sobre o associativismo em Cabo Verde.

Esse objectivo para o qual passos começam a ser dados, tendo em vista a sua concretização, foi apresentado hoje pelo presidente do Citi- Habitat, Jacinto Santos, na sequência da Conferência Internacional evocativa dos 30 anos da organização.

De acordo com Jacinto Santos, foram 30 anos de um percurso de aprendizado, em interação com os parceiros locais e externos, de pesquisa–acção, de experimentação várias e de produção de melhores metodologias e ferramentas na promoção de um desenvolvimento partilhado e assumido pelos actores envolvidos.

“Em algumas coisas fomos pioneiros. Por exemplo na questão da sustentabilidade ambiental, utilização dos recursos naturais, conscientização política para conferir cidadania às pessoas”, exemplificou frisando que naquela altura não era comum falar destas perspectivas de intervenção social e desenvolvimento e da própria abordagem de desenvolvimento.

Conforme salientou, houve da parte do Citi-Habitat uma rápida evolução para um conceito muito abrangente de olhar para as tecnologias como instrumento de desenvolvimento mais abrangente.

“Por isso a nova tecnologia deixou de ser um fim do Citi-habtiat para ser um instrumento de promoção do desenvolvimento. Como aplicar as tecnologias de irrigação para aumentar a produção e produtividade, como aproveitar a pedra para tornar a construção mais adaptável à nossa realidade”, exemplificou, falando também do investimento no capital humano.

O trabalho do centro baseou-se, sobretudo, nos princípios da responsabilização das pessoas, na organização, isto é, o desenvolvimento faz-se com organização e disciplina e na educação para o desenvolvimento.

“Tem sido esta a orientação do Citi Habitat até agora”, sustentou.

A nível académico adianta que o centro montou já cursos superiores profissionalizantes com a Uni-CV. Tem ainda protocolo de colaboração com a Jean Piaget e relações com diversas universidades internacionais e ligação com o Fórum Mundial de Desenvolvimento Economico Local.

“Sempre acreditamos que é possível avançarmos para uma fase muito interessante de pesquisa-acção, como envolver as universidades com os alunos para fim de elaboração de trabalho de fim de curso, teses de doutoramento e mestrado”, disse adiantado que o Citi Habitat tem uma relação muito boa com a ISCTE de Portugal.

O fundamental agora é passar para a produção de conhecimentos sobre o associativismo em Cabo Verde, um fenómeno que na sua perspectiva ainda é pouco conhecido.

A conferência internacional para assinalar os 30 anos do Citi-habitat tem a duração de dois dias e tem como base os 17 Objectivo dos ODS – “revitalizar a parceria mundial ao serviço do desenvolvimento durável e reforçar os meios para a sua implementação”.

Visa sobretudo promover com os parceiros do desenvolvimento uma reflexão sobre a problemática do desenvolvimento social de base comunitária e solidária em Cabo Verde, bem como as abordagens sobre instrumentos, parceiros e meios de acção.

Reflectir sobre o papel da cooperação bilateral e multilateral no processo de desenvolvimento local de base solidária e autogerida faz parte também do programa.

MJB/FP

Inforpress/fim