Brava: Cerca de 50 jovens preparados para dar resposta às demandas nas áreas de corte e costura e canalização

Nova Sintra, 13 Mar (Inforpress) – Cerca de 50 jovens terminaram hoje formações nas áreas de corte e costura e de canalização, organizadas pela Alfabetização e Educação de Adultos da Brava, com a duração de mais de um mês.

A coordenadora do serviço da Alfabetização e Educação de Adultos, Ana Pires, explicou que com este número de jovens recém formados, será possível “colmatar o défice” de profissionais existentes nestas vertentes na ilha, dando resposta no dia-a-dia à comunidade bravense.

Segundo a mesma fonte, estas acções de capacitações surgiram no âmbito de aprendizagem do círculo de interesses da alfabetização com as pessoa adultas, onde têm estado a realizar trabalhos com esta camada em diversas zonas e constataram que havia interesse dessas pessoas em trabalharem e aprenderem mais sobre a costura e o défice de canalizadores constatados na ilha.

Daí, conforme Ana Pires, em coordenação com a delegação escolar da ilha, elaboraram alguns projectos e enviaram-nos para a central de formações, onde conseguiram o financiamento de dois projectos, sendo que um na área de corte e costura e outro na canalização, cuja formação terminou hoje.

Por sua vez, o delegado da educação, Orlando Burgo, demonstrou a sua satisfação pela idealização e concretização destes projectos, financiados pela Direcção Nacional da Educação, através da Educação Básica de Educação de Adultos e pela disponibilidade dos formadores provenientes da ilha do Fogo, para que estas formações pudessem ser ministradas.

O delegado diz ser consciente de que ainda é necessária uma segunda fase, para que estes formandos possam “realmente executar estas profissões, que alguns já possuíam alguma experiência, da melhor forma”.

Na área de corte e costura, o delegado avançou que se está a estudar a possibilidade de ter uma cooperativa nesta área, que pode responder às várias necessidades existentes a nível da costura na ilha.

Para os formandos da área de canalização, esta acção de capacitação foi mais uma ferramenta para o ganha-pão no dia-a-dia, visto que foi uma formação “rica” em todos os sentidos, prometendo colocar em prática tudo o que aprenderam e aguardar para a continuidade da mesma.

Já para os da área de corte e costura, foi uma oportunidade de acrescentar “mais conhecimentos” naquilo que já sabiam, uma vez que a maioria dos participantes já trabalhavam ou possuíam alguns conhecimentos da corte e costura, mas com esta acção de capacitação sentiram-se que podem ir “mais além” do que aquilo que já faziam.

A próxima etapa, segundo a coordenadora do serviço da Alfabetização e Educação de Adultos, será partilhar o que aprenderam com os círculos de interesses, existentes em algumas localidades da ilha e trabalhar em novos projectos para serem enviados, procurando financiamentos, e assim capacitar mais jovens na ilha.

MC/JMV

Inforpress/fim