Vice-primeiro-ministro reitera que o Estado não pretende ter mais do que 30% do capital da Binter

Cidade da Praia, 29 Mai (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, reiterou hoje que o Estado não pretende ter mais do que 30% do capital da Binter Cabo Verde, ou seja, não vai adquirir os 19% que vão ser colocados à venda.

“Nós acordamos a entrada do Estado de Cabo Verde com 30% do capital pela saída na operação doméstica. Nós não queremos ser acionistas de empresa para termos administradores públicos juntamente com privados. Nós queremos que a empresa preste um bom serviço para os cabo-verdianos”, salientou.

Olavo Correia que falava aos jornalistas durante uma visita realizada hoje à empresa de Telecomunicações Cabo Verde Telecom (CVT), disse que as negociações já estão s ser concluídas, sendo que os 19% vão ser colocados no mercado para quem os quiser comprar.

Mesmo que não apareça um privado nacional para adquirir os 19% do capital da Binter e garantir que os 49% do capital da empresa que detém o monopólio das ligações inter-ilhas, seja nacional, o Governo não vai comprar, porque, na perspectiva do ministro, “não há necessidade de o Estado ter uma presença activa na empresa”.

“Nós temos uma entidade de regulação que deve intervir com eficiência para regular os preços e manter a qualidade do serviço e isso que é mais importante. Estamos a ultimar as negociações e penso que tudo fica rapidamente fechado de ponto de vista formal”, realçou.

A Binter Cabo Verde está a operar nas linhas domesticas desde Novembro de 2016 e, em Agosto do ano passado, assumiu o monopólio das ligações áreas domésticas em Cabo Verde.

MJB/FP

Inforpress/fim