sarıyer haberleri">

Venezuela: Vaticano diz que eleições são a única solução

 

Cidade de Vaticano, 19 Mai (Inforpress) – A crise que a Venezuela atravessa está a atingir um nível “verdadeiramente dramático” e a “solução verdadeira” é a realização de eleições, defendeu o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin.

“Eu já o disse e repito-o, que neste momento a solução verdadeira é a das eleições: dar ao povo a possibilidade de se expressar como quiser”, declarou o cardeal, segundo a Rádio Vaticano.

O secretário de Estado disse que o recurso às urnas significa “voltar a dar a soberania ao povo e permitir-lhe determinar o seu presente e o seu futuro”.

“Nós esperamos que seja sempre dada essa possibilidade”, acrescentou, quanto à hipótese de o Vaticano oferecer os seus serviços de mediação para superar a situação na Venezuela.

“Porque, caso se abrisse uma [possibilidade], isso quereria dizer que a situação, em certo sentido, estaria melhor”, afirmou Parolin.

“Portanto, resta-nos exprimir a nossa esperança de que isto ocorra, porque aquilo está a converter-se em [algo] verdadeiramente dramático e corre o risco de ser ainda mais dramático”, considerou o cardeal.

No passado dia 06 de Maio, a Conferência Episcopal da Venezuela informou que o papa Francisco escreveu uma carta aos bispos venezuelanos, instando-os a fazer tudo o que é possível para que se estabeleçam pontes entre o executivo do Presidente, Nicolás Maduro, e os seus opositores, na busca de soluções para a crise nacional.

“Tal como vós, estou convencido de que os grandes problemas da Venezuela podem ser solucionados se houver vontade de estabelecer pontes, de dialogar seriamente e de cumprir com os acordos alcançados. Exorto-vos a continuar a fazer tudo o que seja necessário para que este difícil caminho seja possível”, manifestou o papa, nessa carta.

No final de Abril, Francisco tinha lançado um apelo ao Governo e à sociedade da Venezuela para que evitem mais violência e pediu “soluções negociadas” e respeito pelos direitos humanos, num país numa “grave crise humanitária”.

O líder da Igreja Católica também já tinha defendido que o regresso ao diálogo político entre o Governo e a oposição deve ocorrer mediante “condições muito claras”.

As manifestações na Venezuela, a favor e contra o Presidente, Nicolás Maduro, intensificaram-se desde o passado dia 01 de Abril, depois de o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) divulgar duas sentenças que limitavam a imunidade parlamentar e em que aquele organismo assumia as funções do parlamento.

Entre queixas sobre o aumento da repressão, a oposição manifesta-se na rua também contra a convocatória de uma Assembleia Constituinte, feita a 01 de Maio por Nicolás Maduro.

Dados oficiais dão conta de que pelo menos 44 pessoas já morreram desde o início da crise.

Lusa/fim

%d bloggers like this:
Modüler Bölme Duvar Açık ofis bölme sistemleri Ofis Bölme Sistemleri Jaluzili cam bölme Cam bölme duvar Jaluzili bölme duvar Çocuk odası Diş polikliniği dekorasyonu Ofis dekorasyonu Hastane dekorasyon Ev dekorasyonu Sivas prefabrik Mutfak dekorasyonu Ofis dekorasyonu İç mimari dekorasyon