UE pretende elevar colaboração com Cabo Verde através do Plano Europeu de Investimento – director

Santa Maria, Ilha do Sal, 19 Jul (Inforpress) – O director-geral para a Cooperação Internacional e Desenvolvimento da Comissão Europeia, Stefano Manservisi, anunciou hoje que a União Europeia (UE) pretende elevar a colaboração com Cabo Verde através do Plano Europeu de Investimento.

Manservisi fez a revelação quando discursava, em Santa Maria, na ilha do Sal, no acto formal da assinatura do incremento do reforço orçamental da UE a Cabo Verde, no montante de 1,1 milhões de contos, documento rubricado também pelo ministro dos Negócios Estrangeiro, Luís Filipe Tavares.

O responsável da UE explicou que com o Plano Europeu de Investimento, a colaboração entre as partes vai alcançar “um novo nível”, mediante o uso de empréstimos combinados com o mecanismo do fundo de desenvolvimento, para reduzir o risco de investimentos e com assistência técnica a entidades públicas e privadas para a elaboração de projectos bancários e para melhorar o clima empresarial.

A juventude e as mulheres, precisou o responsável, são outro ”potencial a valorizar” para que juntos, UE e Cabo Verde, possam referiu, aspirar a uma sociedade “inclusiva” e a atracção de investimentos do sector privado europeu ou outro, tendentes a acelerar a criação de emprego e fortalecer perspectivas futuras.

É, pois, neste espírito de “motivação e confiança”, considerou Stefano Manservisi, que foi rubricado o acordo que aumenta o programa indicativo nacional de Cabo Verde em 1,1 milhões de contos, montante que será juntado ao Orçamento do Estado com o “objectivo específico” de “fortalecer o desenvolvimento” do país.

Num outro registo da sua comunicação, o director-geral da Cooperação Internacional e Desenvolvimento da Comissão Europeia considerou que o “êxito” da Cimeira da CPLP, concluída na tarde de quarta-feira, 18, é “um símbolo” do “papel incontestável” de Cabo Verde como “parceiro estratégico” internacional, “respeitado e credível”.

“A relação que Cabo Verde mantém com a União Europeia há mais 35 anos e regida por uma parceria especial desde 2007 reflecte a natureza exclusiva da relação de confiança entre as duas partes”, reforçou a mesma fonte, lembrando que, com os anos, essa mesma colaboração “tem evoluído” para atingir a forma “mais madura” que é o apoio orçamental, que inclui um diálogo político “franco e crítico” entre as partes.

Tal deve continuar a ser aprofundado, lançou, pois a UE, segundo Manservisi, tem assistido a um desenvolvimento económico e humano “admirável e extraordinário” em Cabo Verde, país “indiscutivelmente modelo” na região em “vários aspectos”.

Contudo, admitiu que o país continua vulnerável a choques exógenos e sobretudo aos impactos climáticos e permanecem desafios em relação à gestão das finanças públicas, da transparência e instâncias de controlo.

“Mas estamos conscientes que reformas estão em curso e já começam a dar os primeiros efeitos”, reforçou, num país que, além da governação económica tem ainda desafios, “mas sobretudo oportunidades” nos domínios da energia, do turismo e dos transportes.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, por seu lado, agradeceu a UE por mais este “gesto importante” por reconhece o “esforço” do Governo nas reformas que estão a ser empreendidas, “corajosas, difíceis”, admitiu, mas que vão no sentido da “promoção do desenvolvimento” social, económico e cultural do país.

O gesto significa também, avançou o governante, reconhecimento da capacidade diplomática e de boa governação de Cabo Verde, um “sinal de encorajamento” para o Governo continuar a trabalhar já que esse esforço conjunto da União Europeia e de Cabo Verde vai ter um beneficiário que é a população cabo-verdiana.

“Mais 1,1 milhões de contos para além daquilo que já temos no programa indicativo nacional de cooperação é significativo e hoje podemos dizer que depois do sucesso da Cimeira do Sal é motivo de grande satisfação este acto”, concretizou Luís Filipe Tavares, para quem a UE tem estado ao lado de Cabo Verde nos bons e maus nos momentos.

Por fim felicitou Stefano Manservici pela condecoração de minutos antes que recebeu de Jorge Carlos Fonseca, uma distinção, segundo Luís Filipe Tavares, que é, não só do Presidente da República, mas de todos os cabo-verdianos pela “excelência das relações” entre a União Europeia e Cabo Verde.

Para além dos recentes apoios de emergência prestados pela UE a Cabo Verde, no contexto das consequências da vulnerabilidade do arquipélago aos desastres naturais, no montante global de 1,5 milhões de contos, o novo reforço de 1,1 milhões de contos será incluído no contrato de apoio orçamental em curso, elevando o seu total para 7,4 milhões de contos.

AA/CP

Inforpress/Fim