UCID aponta desemprego e condições de saneamento como principais preocupações na ilha de Santiago

Cidade da Praia, 30 Jul (Inforpress) – O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), António Monteiro, manifestou hoje o seu desagrado “às más condições” de saneamento na capital do país e ao número de desempregados nas outras localidades em Santiago.

Em declarações à imprensa, em jeito de balanço das visitas que efectuou a várias localidades na ilha de Santiago, António Monteiro disse que a rede de esgotos na capital precisa de uma atenção muito importante, tendo em conta que se trata de questões de saúde pública.

“Nós não entendemos como é possível termos uma rua na Cidade da Praia, muito interessante, que é a rua pedonal na zona da Várzea, estarmos perante vazamentos de esgotos, complicando a vida às pessoas que lá vivem”, apontou, sublinhando que outros bairros apresentam casos idênticos.

António Monteiro, que visitou também localidades de Ribeira Grande de Santiago, notou que há um número considerável de desempregados, devido à falta de políticas públicas de promoção de emprego nas zonas rurais.

“Zonas como Porto Mosquito e Gouveia, têm um grande número de desempregados. Efectivamente as políticas que o Governo tem implementado, os anúncios são excelentes, mas na prática esses anúncios tardam em dar resultados”, disse Monteiro, sustentando que para as zonas rurais, é preciso “políticas consentâneas” com a realidade.

Esta ofensiva da UCID em Santiago surge, conforme disse António Monteiro, numa nova dinâmica do partido em assegurar presença junto das pessoas na ilha, de forma “a ganhar peso político” necessário.

“Se a UCID quiser crescer, quiser ter uma capacidade de influenciar a governação, pela positiva, a partir das próximas eleições, necessariamente, terá que ter uma voz forte em Santiago e, se isso não acontecer, não conseguiremos ganhar o peso político que o partido precisa”, declarou.

A UCID realizou este fim-de-semana, visitas a bairros da Cidade da Praia e ao concelho da Ribeira Grande de Santiago, para se inteirar dos problemas que as localidades apresentam.

HR/FP

Inforpress/Fim