Transportes aéreos: TACV solicita suspensão da proibição de voar para Itália

Cidade da Praia, 20 Jul (Inforpress) – A Cabo Verde Airlines informou hoje que já solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil italiana (ENAC) a suspensão da proibição de operar nos aeroportos da Itália, decretada ontem, dia 19.

Num comunicado divulgado na sua página oficial no Facebook, a companhia adianta que foi informada pela entidade aeronáutica italiana ENAC que, devido à ausência prolongada de voos, foi revogada a autorização de voar para Itália a partir de 20 de Julho.

No entanto, a companhia avançou que já entrou com um pedido de suspensão dessa revogação para efeitos de protecção dos passageiros retidos, pedindo a reactivação da licença.

“Inclusive, já estava prevista a retomada do voo para Milão a partir de hoje, com o B767”, lê-se no referido documento.

A Cabo Verde Airlines justifica ainda que esta ausência prolongada de voos, desde 01 de Julho até à presente data, deveu-se ao atraso na reposição de frota que “já está a ser resolvida com a chegada a Cabo Verde de duas aeronaves”.

“Destas, uma, o B767 já retomou os voos para Lisboa e tem toda a programação feita para Milão e Paris. A segunda aeronave, a D4-CCF (B757-200), reforçará brevemente os voos para a Europa e assegurará as ligações para Brasil e EUA”, disse a Administração da Cabo Verde Airlines.

Os dirigentes da companhia de bandeira acrescentaram que continuam “a envidar todos os esforços com vista à normalização da operação e a assumir a protecção de todos os passageiros e a responsabilidade perante os parceiros locais, que têm ajudado a encaminhar os passageiros para companhias terceiras”.

Na mesma nota,  a Cabo Verde Airlines informou ainda que já assegurou a protecção de cerca de 75% dos passageiros retidos em Milão e que acredita que conseguirá a reactivação da autorização de voo para Milão.

A Cabo Verde Airlines lamentou ainda os constrangimentos causados aos seus passageiros, familiares e entidades empregadoras cujos funcionários estejam retidos devido a voos da companhia.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira no seu site oficial, a ENAC, na sigla em italiano, justificou a decisão de revogar a autorização da Cabo Verde Airlines para voar para Itália com base nos “numerosos cancelamentos” dos voos da companhia do arquipélago, que causaram “desconforto a centenas de passageiros” com voos regulares para Cabo Verde.

A mesma fonte dá ainda conta que a ENAC pediu, também. à companhia cabo-verdiana o envio da lista das protecções dos passageiros envolvidos, aconselhando a TACV a não vender mais bilhetes com destino à Itália a partir de hoje, 20 de Julho.

A ENAC informou, ainda, que vai entrar igualmente em contacto com a AAC Agência de Aviação Civil de Cabo Verde (AAC) para pedir informações em relação à situação da Cabo Verde Airlines.

Aquela entidade reguladora italiana diz ainda que vai pedir uma intervenção da homóloga cabo-verdiana para resolver a “situação de desconforto” que foi criada, tendo também em conta a época alta.

GSF/JMV

Inforpress/Fim