Sociedade Cabo-verdiana de Música inicia processo na plataforma online de inscrição e na app Muska

Cidade da Praia, 21 Ago (Inforpress) – A Sociedade Cabo-verdiana da Música vai debelar o problema da insularidade e dos vários concelhos do país, com a plataforma online de inscrição nesta sociedade e na app Muska, enquanto a primeira plataforma musical cabo-verdiana.

A presidente da SCM exorta a todos os músicos existentes nas outras ilhas, assim como os na diáspora e não só, no sentido de procederem ao registo das suas músicas para que posam estar presentes nesta plataforma musical, mediante o preenchimento e da disponibilização de todos os conteúdos nesta plataforma.

Para o efeito, a SCM vai proceder ao lançamento oficial do link nos próximos tempos, de forma que esta plataforma possa estar disponível em todas as ilhas, assim como os músicos serão informados de todos os pontos, de forma a beneficiarem de assistência e usufruírem da utilização das suas músicas.

Para o efeito, a presidente, Solange Cesarovna, avançou que a SCM está a preparar a abertura de balcões desta sociedade nos demais concelhos e ilhas, para ajudar os interessados em caso de alguma necessidade em se inscreverem.

A nível dos dados bancários, a SCM está a trabalhar para que esta plataforma esteja ao nível das melhores práticas internacionais, de forma a providenciar o próprio pagamento das cobranças feitas pela SCM e dos pagamentos da plataforma Muska e da app pela utilização das músicas dos inscritos no “streming”.

As contas serão processadas através da transferência directa, relativa a cada enumeração criada, individualmente, para usufruírem do direito de compensação pela utilização das músicas.

A primeira demonstração pública realizou-se por altura do lançamento oficial desta plataforma em cerimónia realizada semana passada no Palácio Ildo Lobo pelo jovem autor, compositor e intérprete Joel, que concluiu o processo final da validação da sua inscrição da sua obra musical nesta base de dados.

Em relação a criadores musicais de Cabo Verde residentes na diáspora e com inscrições em outros territórios, Cesarovna disse que a SCM pode representar as obras destes autores, de forma a estarem protegidas no mundo, através de acordos de reciprocidade com sociedades congéneres.

A Sociedade Cabo-verdiana de Música está integrada na Confederação Internacional de Sociedades de Autores e Compositores (CISAC), referenciada como a maior rede internacional de sociedades de autores do mundo e vocacionada para um forte protecção legal dos direitos autorais e dos direitos autorais.

SR/JMV

Inforpress/Fim