Secretariado: Governo diz que o próximo desafio da classe é apostar nas qualificações em línguas

Cidade da Praia, 23 Mar (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente considerou hoje que o próximo desafio dos profissionais do Secretariado é passar para o nível das qualificações em línguas, serem autônomos, participar nas decisões das organizações e que sejam reconhecidos como profissionais.

Abraão Vicente, que detém também a tutela da Comunicação Social, fez essas considerações na cerimónia de abertura hoje, na Cidade da Praia, do 14º Encontro Nacional de Secretariado, cujos trabalhos prosseguem também no sábado sob o lema, “A metamorfose do arquivo e os seus desafios para o profissional de secretariado”.

Para o governante, o facto de serem secretárias executivas aumenta o nível de responsabilidade sobre a própria performance das organizações, por ser um cargo de confiança, pelo nível de informações muitas das vezes confidenciais, “creio que a profissão do secretariado não só deve ter um outro reconhecimento público como fazer também parte das prioridades das nossas organizações”, realçou.

Por seu turno, no seu discurso de abertura do referido acto, a presidente da Associação de Profissionais de Secretariado de Cabo Verde (APSCV), Edna Timas disse que um dos desafios da instituição é a valorização e regulamentação da classe e o ensino de qualidade.

“O encontro visa debater e analisar temas pertinentes e actuais, e este ano demos primazia ao arquivo, sendo que é um dos nossos materiais de gestão na qual contribuímos também para a sua preservação uma vez que é um meio de comunicação da qual usufruímos para contar a história da nossa organização”, explicou.

Timas adiantou que estão a trabalhar para regulamentar a classe, valorizar esses profissionais, mas também na formação, sendo que um dos desafios tem a ver com o ensino de qualidade a nível do secretariado.

“A nossa próxima conquista é a regulamentação da profissão. Sendo que somos muitos em Cabo Verde e 2 milhões em todo mundo e exercermos funções de confiança, somos gestores de informação numa nova era do conhecimento com valor imensurável, agentes de mudança e de responsabilidade social porque agregamos ao papel profissional a missão de cidadãos activos e actuantes”, sublinhou.

Edna Timas realçou que o secretariado está entre as três profissões que mais crescem no mundo e hoje em dia existe um novo horizonte nessa profissão, que antes era aparentemente sem perspectivas.

Durante o encontro de dois dias, vão ser analisados e debatidos temas ligados ao perfil do profissional de secretariado no processo eleitoral, as mudanças climáticas: evidências, impactos e prevenção, a problemática do ensino do secretariado em Cabo Verde entre outros.

Neste momento, a Associação de Profissionais de Secretariado de Cabo Verde (APSCV) tem patente no Arquivo Histórico Nacional uma exposição sobre a evolução da profissão que conta a história do secretariado no mundo e em Cabo Verde, que estará disponível até 22 de Abril.

AV/FP

Inforpress/Fim