São Vicente/Livro: O Albergue Espanhol apresentado no Mindelo entre humor e elogios

 

Mindelo, 20 Jul (Inforpress) – O mais recente livro de Jorge Carlos Fonseca, O Albergue Espanhol, apresentado hoje ao início da noite no Mindelo pelo trio Vasco Martins, João Branco e Márcia Souto, colheu, em ambiente de humor, os maiores elogios.

Para Márcia Souto, por exemplo, Jorge Carlos Fonseca (JCF) “foi para além das regras da escrita” e foi ousado na estética, concluindo a apresentadora que “o melhor mesmo é ler” o livro.

Já João Branco considerou que “Albergue Espanhol é um sarilho tão grande quanto estar aqui a tentar apresentá-lo”, e citou José Mário Silva, que o fez na ilha do Sal a 07 de Julho e que terá dito que “neste livro cabe tudo”.

O apresentador de São Vicente considera a obra de JCF “uma espécie de roleta russa literária”, podendo a leitura “começar pelo princípio, pelo meio ou pelo fim”, porque tanto faz, interessando que nas páginas do livro JCF escreveu ”finas e interessantíssimas ironias”. “Tudo podemos encontrar nestas páginas”, acrescentou João Branco.

Por seu lado, Vasco Martins confessou que quando recebeu o convite da Editora Rosa de Porcelana para participar na apresentação, não se sentiu à vontade nem com competência para apresentar o “livro tão estranho”.

Quis voltar atrás, mas depois pensou que era melhor avançar com a tarefa de dizer o que pensa de tal “livro enigmático”, que “vai em todas as direcções”.

O Albergue Espanhol! E foi Vasco Martins, como afirmou o próprio, à Wikipédia concluir que Albergue Espanhol é um lugar em que cabe toda a gente.

E voltando-se para JCF, à direita dele, atirou: “espero bem que o autor saiba isso”, arrancando do anfiteatro da ALAIM (Academia Livre de Artes Integradas do Mindelo) animada gargalhada.

Trata-se de um “livro fantástico”, afirmou Vasco, que “vem na linha de um anterior, Porcos em Delírio, aconselhando porém a leitura de apenas uma linha por dia, ou por noite de insónia, que mesmo assim, afirmou, JCF “obriga-nos a entrar, da melhor maneira, no seu próprio mundo”.

E terminou Vasco Martins a perguntar-se “como é que um escritor, tendo as funções políticas que tem (Presidente da República), teve a coragem de escrever um livro deste gabarito”.

A apresentação terminou com Jorge Carlos Fonseca a confessar, sem “nenhuma ironia”, que as intervenções o ajudaram a “perceber melhor” o que escreveu.

O Albergue Espanhol é o 18º livro de JCF, que já escreveu, designadamente, sobre direito e sobre constituição.

AT/ZS

Inforpress/Fim