São Vicente/Kavala Fresk Feastival: 29 restaurantes se instalaram na baixa do Mindelo e ninguém arreda o pé

 

Mindelo, 08 Jul (Inforpress) – Vinte e nove restaurantes instalaram-se na baixa da cidade do Mindelo para dar de comer, quase sempre cavala, a uma moldura humana ainda não contabilizada de festivaleiros que desejam participar da 5ª edição do Kavala Fresk Feastival que arrancou no início desta tarde.

Além dos 29 restaurantes, há ainda dezenas de grelhas, umas até a ultrapassar os três metros de comprimento, como aquele do homem da ilha do Fogo que levantou o polegar para a reportagem da Inforpress e festejou: o negócio vai “muito bem”.

Ao longo de toda a rua, a Avenida Marginal também, travessas incluídas, há gente acossada pelo calor, gente que não pára, nem de andar nem de beber, sendo visível também longas filas de espera.

Também há gente que não cessa de tocar nos dois palcos erguidos na baixa da cidade, um na Praça Dom Luís, o outro na Praça Nhô Roque onde haverá música abrilhantada, entre outros, pelo violinista Bau e a cantora cabo-verdiana radicada em Portugal, Nancy Vieira.

Desta feita, quatro chefes de cozinha, da China, dos Estados Unidos e de Portugal, juntaram-se também a dois de Cabo Verde, para decidir a melhor forma de arranjar e comer a cavala dos mares deste arquipélago, nesta 5ª edição do Festval Kavala Fresk.

Josina Freitas da MarEventos, organizadora do certame, indicou que pelo menos quatro toneladas de cavala irão ser consumidas num espaço temporal de dez horas, no ano em que a internacionalização do festival é o objectivo básico.

Entretanto, os organizadores do Feastval já falam até de diplomacia gastronómica, tendo por isso programado um workshop com a participação dos restaurantes do Mindelo, sempre com a promoção de Cabo Verde como objectivo.

Aliás, é por isso que é vieram ao Mindelo os quatro chefs, dos Estados Unidos da América, de Portugal e da China, para juntamente com os seus colegas cabo-verdianos desenvolverem especialidades da cavala dos mares de cabo Verde.

No domingo, a Mariventos, coorganizadora do certame dirá certamente quantas toneladas de cavala ao certo os sanvicentinos consumiram, assim como dará a conhecer quantas pessoas atravessaram hoje a baixa da cidade, no ano da internacionalização do Kavala Fresk Feastival.

Na 1ª edição, realizada em Julho de 2013, a organização estimou que mais de dez mil pessoas passaram pelo roteiro gastronómico da Avenida Marginal e consumiram cerca de três mil quilogramas de cavala, altura em que o evento foi distinguido com o Green Project Awards, na categoria de Iniciativa de Mobilização.

Em Outubro de 2014, a Mariventos, organizadora do festival, marcou presença no Slow Food International, em Milão, Itália, e em Abril do corrente ano participou na mostra “Peixe em Lisboa”, da Docapesca, Portos e Lotas, em Lisboa, Portugal.

AT/FP

Inforpress/Fim