São Vicente: UCID congratula-se com intenção do Governo de retirar manual de matemática do mercado

 

Mindelo, 06 Out (Inforpress) – A UCID congratulou-se hoje com a intenção declarada do primeiro-ministro de mandar retirar do mercado, o polémico manual de matemática, para depois de sua correcção, reedita-lo e colocar novos exemplares no mercado.

Em conferência de imprensa e pela voz da deputada Dora Pires, professora de formação e profissão, a União Cabo-verdiana Independente e Democrática lembrou, no entanto, que um erro nunca justifica outro, numa referência às afirmações de dirigentes do MpD (partido no poder) segundo as quais em anos anteriores houve manuais escolares que apresentaram erros.

Dora Pires desejou que este erro sirva de trampolim para que as coisas melhorem, não só no Ministério da Educação, como em todo Cabo Verde.

O manual de matemática presentemente no mercado, por apresentar vários erros na sua concepção tem agitado um pouco a comunidade escolar e não só, no país, além de ter originado muitas conferências de imprensa.

Em declarações à imprensa no Mindelo, a UCID manifestou também o seu agrado pela atitude do Governo de “mandar acudir” os agricultores e criadores de gado face ao mau ano agrícola, com repercussão em todo o território nacional.

No entanto, o deputado e presidente do partido, António Monteiro, considerou que a resposta do executivo já vem tarde, mas, “como diz o povo, mais vale tarde do que nunca”, afirmou.

O importante, agora, é “acelerar o processo”, para que não ocorra o mesmo relativamente a Santo Antão com os estragos das chuvas de 2016, em que o dinheiro disponibilizado pela União Europeia levou muito tempo a chegar à ilha.

“Os governantes esquecem-se que Cabo Verde se situa na zona do Sahel”, afirmou o presidente do partido, logo, pouco chuvoso, pelo que o Governo devia “criar um plano emergencial permanente” para socorrer as populações em anos de fracas ou nulas precipitações.

Em breves declarações aos jornalistas, na sede do seu partido, no Mindelo, António Monteiro sugeriu ao Governo a produção, no país, de pasto para gado, baseado em tecnologia moderna e num processo rápido e rendoso.

O Governo anunciou que vai disponibilizar 880 milhões de escudos para fazer face ao mau ano agrícola.

AT/FP

Inforpress/Fim