São Vicente: Kiki Lima expõe “Real aparência” quando está prestes a completar 50 anos de pintura

Mindelo, 13 Ago (Inforpress) – O artista plástico Kiki Lima apresenta desde sábado, 11, no Centro Cultural do Mindelo, a exposição “Real aparência” que, segundo o artista, marca os seus quase 50 anos de pintura com uma “caligrafia” que lhe é própria.

Sob o lema “kriâ, desde mil novecentos e sessenta e nove continua tintanto”, o artista mindelense pretende assinalar as “bodas de ouro” dessa sua “paixão”, a ser celebrado em 2019, com a exposição “Real aparência”.

“Essa exposição é para chamar atenção para o meu estilo de pintura, as técnicas que uso, as fontes de inspiração e parte sociológica de quem está a ver”, aclarou Kiki Lima à Inforpress e que inclusive acompanha a mostra com um texto, em estilo de poesia, para retratar esse seu “eu” pintor.

Um projecto feito com 19 quadros, maioria pintados neste ano, para mostrar, segundo o artista, a (não) realidade da pintura.

“Embora às vezes a pintura reflete uma realidade social, esta não é uma realidade em si própria. É a tela, a tinta, a forma de pintar que fazem essa realidade”.

“Contornos” que Kiki Lima tenta mostrar na exposição, patente desde sábado até 8 de Setembro no Centro Cultural do Mindelo, “para representar também a multiplicidade cultural de Cabo Verde”.

“Há uma mistura de cores que reflete essa multiplicidade cultural, a fisionomia mista do cabo-verdiano”, acrescentou.

Contudo, sem descurar da crítica social, uma vez que Kiki Lima assume-se também como um “pintor social”.

“A vida não faz sentido sem gente e se queremos transmitir uma mensagem tem de ser de pessoas para pessoas”, salientou o artista plástico que convida assim as pessoas as “fazerem as suas leituras”, daquilo que ele mesmo “não viu e nem pensou”.

“Real aparência” marca os quase 50 anos de carreira de Kiki Lima que diz ter mostrado, durante esse tempo, a sua “caligrafia” na pintura.

Desde 1969, Kiki Lima, acredita ter pintado – embora o mesmo confesse ter perdido as contas -, mais de 2 mil quadros.

LN/FP

Inforpress/ Fim