Inicio Destaques São Vicente: “Governo tem uma política muito centrada na família como unidade...

São Vicente: “Governo tem uma política muito centrada na família como unidade de análise e intervenção” – ministra

Mindelo, 04 Set (Inforpress) – A ministra Maritza Rosabal considerou hoje, no Mindelo, que o Governo tem uma política “muito centrada na família” como a “unidade de análise e intervenção” e com “programas importantes” para garantir que os direitos das crianças não sejam violados.

A titular das pastas da Educação, Família e Inclusão Social, falava na manhã de hoje, em São Vicente, ao presidir à abertura de uma jornada de reflexão sobre crianças em situação de rua na ilha do Porto Grande.

Nesta senda, a governante nomeou o Programa de Rendimento Social de Inclusão, que, referiu, em 2019 terá uma fase “mais ampla”, a requalificação urbana das cidades, como um acto “importantíssimo de inclusão social” e na modificação do sentido de a família sentir-se parte de algo que é “muito maior”, e o Plano Nacional do Cuidados, um “novo pilar” em que o Estado assume que tem responsabilidade nesta área.

É que, para a ministra, se o direito de uma criança não está garantido, tal situação deve preocupar qualquer instituição pública, que, neste caso, está a “compactuar com a violação” desses direitos.

“O objectivo da reflexão é criar uma estratégia de intervenção e solucionar este problema”, reiterou a ministra, que destacou a importância do investimento no presente, na área dos cuidados, para se garantir o futuro.

“Uma criança bem cuidada hoje é uma criança que tem outras condições no dia de amanhã, para depois haver muito menos investimento na segurança e na repressão”, acrescentou a mesma fonte, que disse apostar numa estratégia conjunta para “acabar com esta situação de abuso de crianças e adolescentes” e garantir que os direitos das crianças não sejam violados.

A jornada de reflexão sobre crianças em situação de rua em São Vicente decorre durante o dia de hoje, e dele se espera, como resultados, a definição de uma estratégia de intervenção para responder à problemática e a assumpção por parte das entidades presentes de “compromissos efectivos” e acção para uma intervenção “conjunta e concertada”.

Da jornada deve sair ainda a constituição do núcleo local de acção para a prevenção e fiscalização de “crianças na e de rua” em São Vicente e o lançamento de mais uma edição da campanha “Criança não é de rua”.

AA/JMV

Inforpress/Fim