São Vicente: FIC esgotada com cinco meses de antecedência – Expomar em vias de concluir inscrições

 

Mindelo, 01 Set (Inforpress) – A administração da FIC anunciou hoje que a 21ª edição da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC-2017) esgotou todos os stands cinco meses antes da sua realização e que a Expomar encontra-se em vias de concluir as inscrições.

Em entrevista à Inforpress, no Mindelo, o presidente do conselho de administração da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), Gil Costa, informou que neste momento a instituição que dirige trabalha em simultâneo os dois eventos, já que separados no tempo por apenas um mês.

Com efeito, a Expomar, feira temática das actividades económicas ligadas ao mar, realiza-se de 20 a 22 de Outubro, e a FIC-2017, de carácter multi-sectorial, decorre de 15 a 19 de Novembro, ambos nos pavilhões da Laginha, em São Vicente.

Os números, em relação à FIC-2017, cujas inscrições esgotaram no mês de Junho, devem rondar os 120 expositores que irão ocupar 230 stands.

Sobre a VI edição da Expomar, que ainda tem stands disponíveis para alugar, Gil Costa apontou como novidade o facto de se tratar da primeira vez que a FIC assume a sua organização na plenitude, já que antes se tratava de um produto do extinto Cluster do Mar, funcionando a FIC como parceiro logístico.

“Mas o certo é que a FIC continua a contar com a parceria do Ministério da Economia e da Enapor, esta enquanto empresa-pilar do sector”, concretizou a mesma fonte, para quem a Expomar, “não obstante ser uma feira temática mais pequena”, congrega igualmente vários parceiros institucionais e empresários do Luxemburgo, França, Holanda, Portugal e Espanha, para além de instituições como a FAO, e vem enquadrar-se na questão da potenciação da economia marítima.

Em relação à 21ª edição da FIC, cujo lema este ano “Cabo Verde, o hub para a África Ocidental”, segundo Gil Costa “puxa pela integração” de Cabo Verde na Costa Ocidental Africana, a organização está a efectuar “uma aposta forte” na possibilidade de trazer também empresários e instituições parceiras da sub-região.

“Cabo Verde é mercado pequeno, é certo, no entanto através do País e dos acordos como o esquema de liberalização e trocas comerciais com a CEDEAO consegue-se levar investimentos e investidores de Cabo Verde para a sub-região africana”, concretizou o presidente do conselho de administração da FIC.

Gil Costa destaca ainda “a grande presença” de empresas cabo-verdianas na edição deste ano, as quais, “cada vez mais” querem marcar presença nesta plataforma de negócios que é a FIC, mas sublinhou que o objectivo é trazer “o máximo de nacionalidades”.

“Tudo indica que a FIC-2017 irá decorrer na linha da edição passada de uma feira cada vez com um pulsar mais forte, quer em número de empresas presentes, novidades e de expositores”, sintetizou a mesma fonte, que confirma as presenças de Portugal, o principal parceiro comercial de Cabo Verde, mas também de empresários da Espanha, do Brasil e de “uma série de outras nacionalidades” que irão chegar à feira através dos visitantes profissionais.

Para além da exposição de produtos em stands, as duas feiras abrem ainda espaços para encontros B2B e, paralelamente, decorrerão apresentações técnicas, palestras, e painéis de debates alusivos a cada um dos lemas das respectivas feiras.

AA/ZS

Inforpress/Fim