São Vicente: Empresas “satisfeitas” com contactos proporcionados pela Expomar

Mindelo, 13 Out (Inforpress) – As empresas que participaram na VII edição da Feira das Actividades Ligadas ao Mar (Expomar), que termina hoje, no Mindelo, dizem-se “satisfeitas” com os contactos feitos durante estes três dias e destacam também “melhorias na organização”.

Uma delas é a Pró-Empresa, que, representada pelo técnico Amílcar Morais, considerou “quase que obrigatória” a participação deste novo instituto do Estado para apoio empresarial, como forma de “passar a visão e a missão” desta entidade e estar numa feira “com esta que é sempre um palco de interesse”.

“Temos feito excelentes contactos inter-empresas e essa participação também nos permitiu divulgar ainda mais o nosso projecto de apoio a jovens empreendedores”, salientou Amílcar Morais

A “boa percepção” também se verificou a nível internacional com o representante da Junta da Galiza (Espanha), António Rodriguez Fernandez, que enfatizou o facto de a colaboração com a Expomar existir há cerca de seis anos e, inclusive, também  com autoridades e empresas  cabo-verdiana  para participam numa feira com o mesmo nome na Espanha.

“Vejo que aqui a feira está melhorando a cada ano e tem uma resposta muito importante por parte dos cabo-verdianos que visitam a feira com interesse nos assuntos do mar”, apreciou este responsável, que adiantou ter feito “vários contactos” com empresas do Estado neste sector para dar continuidade a essa “colaboração constante”.

Igualmente a representante em Cabo Verde da transportadora internacional de contentores, Maersk Line, Yara Lopes, assegurou ter feito contactos com possibilidade de criar “novas parcerias”, tal como o objectivo da feira.

Por outro lado, adiantou que se conseguiu ver que empresas estão a “caprichar mais” na imagem e “cada vez mais” a investir em publicidade.

“O que vejo como um ponto positivo”, reforçou a gestora.

Este aspecto também apontado pela organização, que assinalou “ganhos” no número de expositores, área feiral e de visitantes profissionais, mas, também de “amadurecimento” das empresas.

“Notou-se que as empresas vieram com novo rosto e melhor estruturadas, tanto na montagem e decoração dos stands, como também na sua política de marketing”, observou o presidente do conselho de administração da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC SA), Gil Costa.

“Isso para nós é motivo de regozijo, porque mostra, efectivamente, que as empresas estão a ter uma estratégia de participação”, reforçou, com o facto de se ter “muitas empresas”, consideradas da “casa”,  até com sete participações, número igual às edições da feira.

A pertinência dos temas escolhidos para as jornadas técnicas revelaram-se, segundo a mesma fonte, outro dos “sucessos” que permitiram cada vez mais “partilhar conhecimento científico e técnico” para a exploração sustentável do mar.

Contudo, um “balanço positivo”, que contrastou com a percepção da Sociedade de Consultores Marítimos de Portugal e que, segundo o representante Joaquim Aureliano, verificou a “ mais fraca participação”, de armadores e de pessoas “mais ligadas” ao mar, após estar na feira pela quarta vez,

Situação que, conforme Gil Costa, se relaciona com a questão de os empresários entenderem as “vantagens” que podem tirar da feira.

Estes, segundo a mesma fonte, devem entender que “não é por estarem na feira que vão conseguir mais carga ou mais passageiros”, mas, sim “devem perceber” que ao estarem presentes podem dar a conhecer os seus serviços e produtos, e as pessoas passam a saber que a “empresa existe e a sua política de preços.

Ainda assim, Gil Costa confirmou que teve contactos com pelo menos dois armadores, sendo que, um deles desistiu por problemas com artigos publicitários e outro por optar em estar presente numa feira internacional.

Entretanto, a organização colocou como “ desafio” para a próxima edição ter os dois pavilhões cheios, algo que, segundo a mesma fonte, vão conseguir, por já sentirem a resposta dos empresários, que “começam a entender que a feira não é da FIC, mas do sector”, concretizou.

LN/AA

Inforpress/Fim