São Vicente: Edilidade e Governo dão arranque a requalificação da estrada de Baía das Gatas orçada em mais de 255 mil contos

Mindelo, 22 Jul (Inforpress) – A Câmara Municipal de São Vicente e o Governo arrancaram hoje, no Mindelo, as obras de asfaltagem e requalificação da estrada cidade – Baía, orçadas em mais de 255 mil contos e com prazo de execução de 10 meses.

Conforme o presidente da edilidade, Augusto Neves, dois anos “foram suficientes” para preparar “uma grande prenda” para a ilha de São Vicente, as obras de asfaltagem e requalificação da estrada Baía das Gatas.

“É um sonho de muito tempo, há muito que estamos atrás e a lutar”, afirmou Augusto Neves, para quem a obra significa “uma vitória” para o povo mindelense.

Assim, um projecto, adiantou, que vai trazer “mais dignidade e benefícios” à ilha. “Um grande investimento que vai trazer trabalho para a juventude, porque só com grandes investimentos é que se consegue dar trabalho”, assegurou Augusto Neves.

A obra está orçada em mais de 255 mil contos e com um prazo de execução de 10 meses.

O investimento é considerado pela ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, “a prioridade das prioridades” e está incluído dentro de um pacote de construção, do qual constam ainda a estrada aeroporto – Rabil (Boa Vista), Tarrafal de Monte Trigo (Santo Antão), também na ilha do Fogo, entre outros.

Assim, 12 quilómetros “especiais”, segundo a mesma fonte, que comportam, além da asfaltagem com betuminoso, a reabilitação e requalificação de pedonais, e ainda a construção de uma rotunda onde vai ser colocada uma estátua.

“Mas, são vocês [o povo] quem vai escolher a figura homenageada nessa estátua”, assinalou Eunice Silva, que anunciou, ainda, a construção de uma derivação para a zona de Salamansa, não incluído nesse momento no contrato, mas que o Governo “vai fazer tudo” para o incluir.

Eunice Silva afirmou depositar “total confiança” na empreiteira, a Tecnovia Cabo Verde, empresa de “experiência internacional” com “competência para cumprir prazos e também qualidade”.

“O nosso trabalho não se resume só a estradas, vamos dar continuidade a um programa, que, para além das 60 casas concertadas, vai reabilitar de mais 160 habitações”, essa última acção, conforme avançou Eunice Silva, resultante da parceria entre Governo, câmara e dono da habitação.

Por seu, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, ressalvou estar-se “a cumprir aquilo que foi prometido” e que, neste momento, “ todas as condições” estão criadas para se arrancar as obras.

“E vamos estar aqui, daqui a 10 meses para fazer uma grande festa de inauguração”, salientou o chefe do Governo, que espera tornar a zona “uma nova centralidade” para São Vicente, tanto a nível de turismo, como de economia.

“Queremos fazer o investimento para reproduzir na economia da ilha, na qualidade de vida das pessoas e no futuro que queremos que seja mais desenvolvido aqui em São Vicente”, afirmou.

Nessa senda, vai se “cumprir brevemente”, reiterou, com o Terminal de Cruzeiros, que conta com “financiamento garantido, contrato pronto.

“Estamos à espera de uma autorização do financiador para lançar o concurso”, assegurou Ulisses Correia e Silva, que agenda o lançamento, entre Agosto e Setembro, desse concurso que “vai dar São Vicente uma infra-estrutura de grande qualidade para o turismo de cruzeiro”.

Ulisses Correia e Silva falou ainda de outros projectos como Zona Especial de Economia Marítima, e da parceria feita com a edilidade de São Vicente, à semelhança com outras edilidades, para reabilitação de habitações e bairros, patrimónios e orlas marítimas.

Projecto este orçado em 11 milhões de contos e que, como enfatizou, já está publicado no Boletim Oficial. No caso de São Vicente, segundo a mesma fonte, ascende a 613 mil contos a ser concretizado entre os anos 2019 e 2020, resultante de uma parceria que “nunca foi vista em Cabo Verde”.

“É esse impulso que queremos para produzir coisas boas e resultados”, concretizou o chefe do Governo.

LN/CP
Inforpress/Fim