São Vicente: Câmaras de comércio dizem que memorando confere “cada vez maior dinamismo” à FIC – Belarmino Lucas

 

Mindelo, 16 Nov (Inforpress) – O memorando que estabelece a intenção do Governo em transferir a maioria do capital social da FIC SA às câmaras de comércio vem conferir cada vez “maior dinamismo” à empresa, às feiras, ao desempenho das funções da FIC.

A afirmação é do presidente do Conselho Superior das Câmaras de Comércio de Cabo Verde (Barlavento e Sotavento), Belarmino Lucas, e foi proferida durante a assinatura do acordo, hoje no Mindelo, no âmbito das jornadas técnicas enquadradas na realização da 21ª edição da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), que decorre até domingo nos pavilhões da Laginha.

Belarmino Lucas considerou que esta “nova visão” já se verifica na prática, uma vez que, precisou, por opção do Governo, as câmaras de comércio já têm assento no conselho de administração dessa empresa e isso tem-se traduzido em “ganhos de eficiência” na FIC.

Segundo a mesma fonte, trata-se de mais um passo para a concretização de compromissos assumidos anteriormente entre o Governo e o sector privado, que ficaram plasmados em acordos celebrados no quadro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Empresarial, há já alguns meses.

Naquela ocasião ficara assente, conforme Belarmino Lucas, a transferência de um conjunto de competência e de activos, visando o “empowerment do sector privado nacional”, numa “nova forma de relacionamento entre o sector privado e o Estado”, visando dar corpo àquilo que “há muito se apregoa” de que o sector privado deve ser o motor da economia nacional.

“Nas presentes circunstâncias do mundo e do país não há alternativa à esta opcção e estratégia que concede e reconhece o primado do sector privado no desenvolvimento da economia”, reconheceu o presidente do Conselho Superior das Câmaras de Comércio.

Através do memorando hoje rubricado pelas câmaras de comércio, representadas por Belarmino Lucas (Barlavento) e Jorge Spencer Lima (Sotavento), faz-se o enquadramento do processo de transferência da maioria do capital social da FIC, que tem por missão organizar as feiras de negócios em Cabo Verde e “importantes funções e atribuições” no domínio da promoção do país, dos negócios e do sector privado.

O acordo estabelece a intenção do Governo em proceder à transferência da maioria do capital social detido na FIC SA às duas câmaras de comércio, num processo de transferência do capital social que será procedido de uma avaliação e activos da empresa, realizada por entendidas credenciadas, em obediência às regras na legislação aplicável.

O documento fixou o prazo máximo de oito semanas para a conclusão do processo de avaliação, sendo que a transferência de parte do capital social detida pelo Estado será estabelecida por acordo entre as partes.

AA/CP

Inforpress/Fim