São Vicente: António Duarte Monteiro reeleito presidente do Serviço Nacional de Busca e Salvamento

Mindelo, 26 Jun (Inforpress) – António Duarte Monteiro, reeleito hoje, no Mindelo, presidente da Comissão Nacional de Coordenação de Busca e Salvamento (CNCSAR) para um mandato de dois anos, definiu como prioridade dotar esse sistema de “melhores meios” de comunicação.

À imprensa, após a eleição, que ocorreu na tarde de hoje na 7ª reunião ordinária da CNCSAR, disse que a recondução afigura-se como “reconhecimento do trabalho” feito até agora pela comissão.

O presidente reeleito confirmou estar “pronto para arregaçar as mangas”, para continuar a trabalhar e desenvolver políticas para apresentar subsídios ao Governo tendentes a melhorar o serviço nacional de busca e salvamento.

Num balanço retroactivo do mandato cessante, António Duarte Monteiro enumerou “alguns ganhos”, como ter o CNCSAR a funcionar “em pleno” e a “mudança radical de paradigma”, em 2015, que permitiu fundir os serviços marítimos e aeronáuticos e tornar a Guarda Costeira como única operadora de busca e salvamento.

Contudo, como ressalvou a mesma fonte, ainda restam “algumas coisas” a fazer, por exemplo, nomeou, dotar o Centro Conjunto de Coordenação de Busca e Salvamento de “melhores equipamentos” de comunicação, um dos eixos considerados prioritários.

Por outro lado, pretende-se formar os operadores de busca e salvamento em “conhecimentos adequados” para poderem exercer essa função “como mandam as regras”.

“Nomeadamente dotá-los de capacidade de língua inglesa, que é a língua utilizada na comunicação de busca e salvamento”, afirmou o responsável, que, no entanto, afirmou tudo depender, na prática, da Guarda Costeira, única operadora de busca e salvamento.

Além da eleição e da aprovação do plano de actividades 2018/2019, António Duarte Monteiro assegurou que a 7ª reunião ordinária da CNCSAR permitiu “ter algumas luzes”, entre as quais saber quais os acidentes susceptíveis de ocorrer na área marítima de Cabo Verde e também onde podem acontecer.

“Portanto, são ganhos incomensuráveis que podemos catalisar para o futuro”, afiançou o responsável, que acredita que, dessa forma, torna-se possível fazer um emprego “mais racional” dos recursos que dispõe.

O corpo directivo da CNCSAR, eleito para um mandato de dois anos renovável, é constituído pelo presidente António Duarte Monteiro, vice-presidente, Alberto Silva e pelo secretário, Manuel Claudino Monteiro.

LN/AA

Inforpress/Fim