São Vicente: Acordo tripartido viabiliza projecto de expansão do Hospital Baptista de Sousa

Mindelo, 21 Mar (Inforpress) – O ministro da Saúde considerou hoje de “histórico” o compromisso alcançado entre o Governo, a câmara de São Vicente e um privado na permuta de bens imóveis para a expansão do Hospital Baptista de Sousa (HBS).

Arlindo do Rosário, que falava, no Mindelo, no acto de assinatura do contrato de permuta de bens imóveis entre as três partes, explicou que o acordo espelha o “forte amor” a São Vicente e o engajamento na procura de soluções para desenvolver o sector de saúde na ilha, “um exemplo de diálogo”, possível de ser estabelecido na procura de soluções conjuntas.

O ministro não tem dúvidas de que se trata de um “contributo importante” para o desenvolvimento dos cuidados de saúde hospitalares em São Vicente e para toda a Região Norte.

No âmbito do acordo, a empresa Fonseca e Santos doou hoje à Câmara Municipal de São Vicente, na mobilidade permuta, dois terrenos situados na Avenida Capitão Ambrósio, o primeiro com 536,4 metros quadrados e o segundo com 2.083 metros quadrados.

Os bens imóveis situam-se num terreno anexo ao denominado Hospital Velho, considerado estratégicos para a edificação do projecto de expansão e com “importantes ganhos” em matéria de gestão hospitalar, logística, mobilidade e facilidade de acesso dos utentes.

A autarquia, por seu lado, coloca esses terrenos à disposição do Ministério da Saúde para a concretização do “master plan” do HBS, que foi contemplado com um financiamento do Fundo do Kuwait, no montante de 265 mil contos, para ser realizado ainda no ano de 2017.

Uma vez que o HBS já não possui condições para crescer dentro do seu perímetro, e atendendo aos desafios que tem como hospital central, que cobre a ilha de São Vicente e toda a região do Barlavento, surgiu a necessidade, explicou, de se alargar o espaço para além do perímetro actual para poder responder ao “master plan” que projecta, a mais de 20 anos, as necessidades do hospital.

O “master plan” para o desenvolvimento do HBS prevê, assim, a construção de uma nova central de consultas e de outros serviços de “grande importância” para o hospital, com impacto directo na redução dos tempos médios de espera para consultas de especialidades e cirurgias, internamento e dias de internamento, nomeadamente serviços ambulatórios, cirurgias ambulatórias, exames e procedimentos de diferentes especialidades e hospital dia de oncologia, de outras possibilidades.

Assim, a construção dessa nova infra-estrutura hospitalar irá permitir a reestruturação do bloco materno-infantil, bloco cirúrgico, centro radiológico, banco de urgências, cuidados intensivos e realojamento dos serviços administrativos com melhores condições de espaço para o desenvolvimento das respectivas competências.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, destacou o acordo como “um ganho para a população” de São Vicente e da Região do Barlavento, e que vai ao encontro da preocupação da câmara com a melhoria da qualidade de vida dos sanvicentinos.

Neves elencou vários programas da autarquia, tendentes a ajudar o Ministério da Saúde a resolver os problemas, “que não são poucos”, apesar dos seus “parcos recursos”, a começar pela abertura do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Droga, que atende centenas de jovens durante o ano, o Centro de Acolhimento de Doentes Mentais, que acolhe mais de 40 doentes da ilha e da região, a rede social de saúde de apoio aos idosos e a Casa de Acolhimento das Crianças com Vulnerabilidades Especiais, entre outros.

“Tem sido a nossa ajuda no sentido da melhoria da condição de vida da população”, reforçou o presidente da câmara, que classificou de “grande projecto” a expansão do HBS para Região do Barlavento, uma “vontade de há muito de vários responsáveis”, pelo que prometeu “tudo fazer”, concretizou, para que o projecto seja concluído “o mais breve possível”.

AA/CP

Inforpress/Fim