São Miguel: Fernando Elísio Freire destaca ganhos dos dois anos de mandato da governação do MpD para Cabo Verde

Calheta, 16 Set (Inforpress) – O vice-presidente do MpD destacou hoje os ganhos conseguidos a nível da governação local e central para o país em dois anos de mandato, pedindo à oposição que “não os atrapalhe, porque o povo quer que Cabo Verde avance”.

Fernando Elísio Freire falava durante a sua intervenção na II reunião ordinária da Assembleia Política Concelhia do MpD em São Miguel, que reuniu hoje militantes e simpatizantes, momento aproveitado para auscultar as suas preocupações relativamente ao concelho e à organização partidária, após dois anos da vitória do partido nas eleições legislativas e a autárquicas.

O encontro teve como ordem do dia o empossamento dos 48 coordenadores das 23 localidades do município, perspectivas do desenvolvimento do município para o ano 2019 e análise da situação política/partidária do concelho e de estruturas locais.

Em jeito de balanço de dois anos da governação do MpD, o dirigente partidário afirmou que neste momento que o país está a crescer a nível da economia “cinco vezes mais”, que os municípios recebem cerca de 13 milhões de contos a mais, que vão distribuir mais de 20 mil kits escolares, que já foram progredidos mais de 1000 professores, que as cozinheiras escolares estão a receber um salário o que antes não acontecia, tudo isto, conforme disse, “mais do que há dois anos”.

Pensão social e salário mínimo que foram aumentados, problemas das evacuações, pagamento de propina dos jovens que frequentaram a formação profissional, questão dos transportes aéreos e marítimos são algumas das pendências deixadas pela governação do (PAICV- oposição) que, segundo ele, algumas já foram resolvidas e que outras estão sendo resolvidas.

“Devemos ter um grande orgulho no nosso partido, por São Miguel e por Cabo Verde”, disse, sustentando que “passado dois anos, que hoje Cabo Verde é muito melhor do era há dois anos”, diferente da governação do PAICV, que apelidou de “15 anos de desemprego, de jovens sem perspectivas e de câmaras sufocadas”.

“Quem teve 15 anos de propaganda, 15 anos a enganar-nos, 15 anos a não cumprir e 15 anos de maledicência não tem mural de exigir que em dois anos façamos tudo aquilo que não fizeram em 15 anos”, defendeu, admitindo, por outro lado, que mesmo com tudo que já fizeram para o país, que sempre falta alguma coisa que possam fazer mais por Cabo Verde.

No encontro, onde “teceu duras críticas” à oposição” que, sobretudo, conforme ele, andou a pregar “desgraça” e a levantar “suspeições” por altura da seca e mau ano agrícola, pediu-o assim como a pregou por várias ribeiras para fazê-lo novamente para que possa ver o verde, a esperança, para que possa “falar bem de Cabo Verde e de todos os cabo-verdianos”.

Em relação ao pedido de muitos membros para que o partido no poder tenha uma “atenção especial” aos que contribuíram para ascensão ao poder, ao em vez dos do PAICV, clarificou que não trabalham com pessoas por terem apresentado “cartão do militante”, mas sim pela competência e “com regras claras”, lembrando que esta prática é da oposição que vive para o partido e que o MpD vive para Cabo Verde e para os cabo-verdianos.

Para São Miguel, lembrou que “nos próximos dois anos” o Governo vai investir cerca de 231 mil contos, numa parceria com a edilidade. Será um investimento na requalificação urbana, de patrimónios e da orla marítima, na melhoria de habitações e no desencravamento de localidades com potencial agrícola.

Aos coordenadores, o também ministro do Estado instou-os a “andarem de cabeça erguida” para afirmarem que é o MpD que vai resolver os problemas de Cabo Verde.

Por seu turno, também fazendo balanço dos seus dois anos de mandato, o edil micaelense, Herménio Fernandes, afirmou que de uma forma geral 75 por cento (%) das promessas eleitorais estão sendo cumpridas pela sua equipa.

O também membro da Comissão Política Nacional do MpD destacou investimentos feitos no município em parceria com o Governo, como no sector da água, electricidade, nas estradas e na infra-estruturação que, segundo ele, vão mudar a qualidade de vida dos micaelenses, fixar pessoas na suas localidades e promovem a inclusão social.

Na ocasião, lembrou que tais investimentos abrangem todas as localidades daquele município do interior de Santiago, sublinhando que nesses dois anos conseguiram acrescentar valores ao desenvolvimento de São Miguel e que estes têm traduzido em empregos e surgimento de comércio.

A assembleia realizada pela Comissão Política Concelhia de São Miguel contou com o seu presidente, Francisco Sanches, que se congratulou com a presença em massa dos militantes, simpatizantes e amigos e acredita que se este órgão trabalhar numa “estreita parceria” com os coordenadores, ora empossados, vão fazer melhor” para o MpD e para São Miguel.

Estiveram ainda presentes o deputado nacional eleito pela lista do partido para aquele concelho, eleitos municipais, membros da comissão política nacional e local.

FM/ZS

Inforpress/Fim