São Miguel /Autárquicas/Balanço: Edil diz ter já cumprido mais de 70% das metas que estabeleceu

Calheta, 25 Set (Inforpress) – O edil de São Miguel, Herménio Fernandes disse que nestes dois anos de mandato a autarquia micaelense já cumpriu mais de 70% das metas estabelecidas, com enfoque nos “sete pilares” definidos como estratégicos para desenvolver o concelho.

Nesta entrevista/balanço dos primeiros dois anos do mandato que se assinala na quarta-feira, 26, o edil considera “positiva” a avaliação a meio percurso, na medida em que, segundo disse, os sete pilares definidos como estratégicos para uma “boa governação” e desenvolvimento do concelho já foram cumpridos em mais de 70%.

Dos 7 pilares definidos, Herménio Fernandes aponta como primeiro a “boa governação”, com foco principalmente em programas e projectos, tendo destacado, nomeadamente a parceria estratégica com o Governo, ONG a nível da cooperação descentralizada, sociedade civil, empresas locais, colocando também ênfases nos ganhos que tiveram a nível do reforço institucional.

Nesse âmbito, destacou a aprovação a nova orgânica da Câmara Municipal de São Miguel, com a criação de novos serviços no município, nomeadamente balcão único, variação de fiscalização, centro de educação ambiental, delegações municipais, pondo tónica em particular na instalação da Delegação Municipal de São Miguel, reforço e expansão da Delegação Municipal de Achada Monte e a criação da Delegação Municipal de Pilão Cão.

Ainda dentro do primeiro pilar o edil destacou a implementação do gabinete de governação interna e do planeamento e controlo de gestão e de qualidade, bem como a unidade de gestão de todas as requisições públicas da câmara.

Entretanto, salientou o facto de se ter reforçado os serviços e políticas sociais que hoje contam com uma direcção de educação, família e inclusão social que cuida de toda política social do município, tornando-o “muito mais abrangente em termos de cuidados de famílias” que beneficiam de assistência e protecção social.

Ainda neste pilar destaca a formação dos funcionários, a 1ª reunião de quadros da câmara, a realização do 1º fórum da cidade de são Miguel, realização do fórum de desenvolvimento de Ribeira de são Miguel, projectos de inclusão económica de mulheres de são Miguel que é uma grande parceria entre Câmara, Governo, ONG internacionais, uma empresa do sector hoteleiro em Boa Vista.

“Tudo isto demonstra que em termos de mobilização de parcerias, tanto a nível interno como a nível internacional, temos outra pedalada com mais velocidades e visibilidade para o concelho”, enfatizou.

Na mesma linha de ação, o autarca apontou ainda as novas geminações conquistadas pelo município, nomeadamente com o município de Batalha, Almada e Amadora em Portugal, a reativação do protocolo que mantinham com o município de Amiens (França), que vai financiar todo o projecto de ligações domiciliárias de água em localidades que ainda não tem acesso a esse bem, bem como a cooperação com Luxemburgo, acções de parceria estratégica que considerou “passo gigante”.

Entrando para o segundo pilar de estratégia, Herménio Fernandes realçou a “valorização do território” que, segundo o edil, na perspectiva de transformar o concelho, com a requalificação urbana, orla marítima, aspectos ambientais e o desencravamento das localidades que estão em curso em todo o município.

Conforme referiu, o terceiro pilar tem o enfoque na “valorização do ambiente” e, a título de exemplo, realçou o facto de hoje em dia existir em São Miguel um serviço de recolha de lixo, que anteriormente se cingia só no perímetro da cidade, mas que hoje beneficia todas as zonas e que, afora isso, estão a trabalhar forte na sensibilização dos residentes, apostando na rede de desgostos para as famílias e, principalmente, o reforço no espaço verde.

Enquanto isso, aponta como os grandes ganhos do quarto pilar a “valorização do património histórico e cultural”, com destaque para a criação do Centro Histórico do Portal, abertura da Casa da Arte, trabalhos de requalificação junto dos rebelados, a recuperação do Festival de Batuque, a criação do Festival de Talentos com o propósito de dar oportunidades aos jovens, a promoção da festa de romaria e reabilitação de capelas.

Já no concernente ao quinto pilar, que se assenta na “promoção e inclusão social”, a edilidade destacou o programa “São Miguel valoriza” e programa “lar jovens”, a construção de 18 habitações disponibilizado para as famílias em diferentes localidades e apoio aos jovens casais na construção das suas primeiras habitações, transporte escolar e apoios em medicamentos.

Conforme o autarca, o sexto pilar com âncora no “reforço do capital humano”, tem especial atenção nos sectores, formação profissional, educação, juventude, saúde e desporto, que considera fundamental para levar avante a mudança estrutural necessária ao concelho, para que os munícipes possam ter mais qualidade de vida.

Por último, apontou que o sétimo pilar é a “dinamização da economia local”, porque é o que de facto cria oportunidades de emprego e riqueza e faz o município desenvolver,

Sendo assim, o autarca explicou que nesse capítulo tem quatro áreas definidas como “charneira” para o desenvolvimento do concelho, nomeadamente agricultura, pesca, turismo e empreendedorismo.

Entende o presidente da câmara que, com estas quatro áreas, “onde estão trabalhando fortemente”, se consegue criar emprego e condições para inserção das pessoas no mercado de trabalho.

Perspectivando os próximos dois anos que lhe restam para a conclusão do mandato, Herménio Fernandes reitera a convicção de transformar o concelho num local de qualidade, com qualidade de vida e oportunidades de empregos para jovens.

CL/FP

Inforpress/Fim