São Lourenço dos Órgãos: Plano de actividades e orçamento para 2018 aprovados com votos do MpD

 

João Teves, 14 Dez (Inforpress) – O plano de actividades e o orçamento da Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos para 2018 foram aprovados quarta-feira com votos favoráveis do MpD (partido que gere a Câmara Municipal) e abstenção e contra, respectivamente, do PAICV.

Para o próximo ano económico, a edilidade vai gerir um orçamento de 234 mil contos, que, em termos comparativos, registou uma diminuição de 21 por cento (%), em relação ao de 2017.

Em declarações à imprensa, o líder da bancada do Movimento para a Democracia, Odair Afonso, avançou que os eleitos do MpD votaram a favor, porque entendem que os dois instrumentos de gestão camarária vão contribuir para o desenvolvimento de São Lourenço dos Órgãos.

Acrescentou que o orçamento vai ao encontro daquilo que o município precisa, mormente programas de mitigação do mau ano agrícola, que vão proporcionar trabalhos pontuais, arranque do arrelvamento, infra-estruturação da cidade de João Teves, requalificação e construção de placas desportivas, conclusão das obras do mercado, construção de habitações e casas de banho e ainda apoios à educação.

Já o líder da bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), José António Neves, justificou o voto contra do partido com o facto de o orçamento ser “desequilibrado”, tendo em conta que tem receitas mais do que despesas e valores que “não batem” com diversos mapas.

Outrossim, é o facto de o orçamento ser “de propaganda”, segundo o eleito municipal, sustentando que a edilidade diz que é um “orçamento de voo para o futuro” do município, quando há famílias em situação de sufoco, sobretudo aquelas que dependem dos trabalhadores afectados com redução salarial por parte da câmara.

A propósito, José António Neves adiantou que não foi orçada a reposição salarial para o próximo ano, e, tendo em conta que o município se dedica à agricultura e à pecuária, a câmara “foge da sua responsabilidade” nessas matérias.

“Em relação ao plano de actividades, demos a câmara o benefício de dúvida, uma vez que há um conjunto de boas intenções que acreditamos que podem ser efectivamente materializados na prática”, argumentou.

Por sua vez, o edil, Carlos Vasconcelos, considerou que o orçamento “é realista”, sustentando que o mesmo vai permitir levar avante todos os programas apresentados, e, ainda, trazer o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida dos munícipes.

Relativamente à diminuição no orçamento, o autarca fez saber que a mesma deve-se a redução nas despesas, ajuntando que a maioria dos quadros camarários foi para a reforma e outros integraram a empresa Águas de Santiago (AdS), mas, apesar disso, a câmara aumentou os investimentos.

A terceira sessão ordinária da Assembleia Municipal de São Lourenço dos Órgãos decorreu durante todo dia de quarta-feira, e foi marcada, no período antes da ordem do dia, por momentos de tensão durante o debate, em que houve, inclusive, ameaças de agressão física entre o presidente da câmara e um deputado da oposição, situação que foi ultrapassada no período da tarde.

Análise sobre o mau ano agrícola no concelho, deliberação que autoriza a Câmara Municipal a pertencer à Sociedade de Titularização de Crédito dos Município de Cabo Verde, e discussão e aprovação das alterações do Regimento da Assembleia Municipal, foram outros pontos debatidos.

FM/CP

Inforpress/Fim