São Lourenço dos Órgãos: ICCA socializa projecto que propõe tirar crianças da venda de frutas na via pública

João Teves, 12 Jun (Inforpress) – O projecto “O meu futuro está na escola”, iniciativa do ICCA, quer acabar com a participação das crianças nas vendas de frutas na via pública e combater o fenómeno do trabalho Infantil no concelho de São Lourenço dos Órgãos.

O Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) conta, neste projecto, com a parceria da Câmara Municipal e da Delegação do Ministério da Educação daquele município de interior de Santiago Norte, o qual foi socializado hoje junto de parceiros e instituições do Governo, coordenadores pedagógicos, Polícia Nacional e técnicos sociais da autarquia e sociedade civil.

O  projecto, segundo o delegado do ICCA para a região Santiago Norte, Lino Carvalho, tem também como fito combater o abandono escolar e mostrar às crianças e aos seus pais e encarregados de educação que o lugar delas é na escola e não na venda ambulante e na venda à beira das estradas.

Conforme explicou o responsável, do projecto consta ainda uma proposta de criação de um Centro Dia que vai trabalhar na “retaguarda” para essas crianças que actualmente estão a praticar vendas na via pública e ainda para as que têm estado a ser vítimas do trabalho infantil naquele o concelho do interior de Santiago

No Centro Dia, desenhado para combater o trabalho infantil ao longo das vias, segundo ele vai servir ainda às outras crianças, cujos pais e encarregados de educação não conseguem estar em casa devido ao trabalhar, para que possam ter assistência neste espaço durante o dia e ainda realizar várias actividades.

Entretanto, informou que, tendo em conta que almejam levar esta proposta a todos os concelhos da região, têm que ter as câmaras municipais como “parceiras fundamentais”.

Nesse sentido, disse que para tal necessitam reactivar os comités municipais e ainda que as autarquias coloquem nas respectivas agendas a questão da infância “como prioridade”.

O director de Gabinete de Juventude, Cultura e Desporto, Ednilson Rodrigues, e o delegado do Ministério da Educação, José Maria Pina, presentes no acto, consideraram o projecto “importante”, tendo em conta que naquele município existe um “número considerável” de crianças que vendem frutas actualmente nas principais vias e que tem resultado em abandono escolar.

Conforme explicaram, a ideia não é tirar as pessoas de venderem nas principais vias, mas sim as crianças, visto que o lugar delas é nas escolas.

FM/AA

Inforpress/Fim