São Filipe: Ex-presidente da câmara critica demora na solução para troço de estrada entre São Jorge e Campanas

São Filipe, 13 Mar (Inforpress) – O ex-presidente da Câmara Municipal de São Filipe, Luís Pires, critica o silêncio das autoridades e a demora na solução do troço de estrada entre São Jorge e Campanas Baixo.

Através da rede social, o vereador sem pasta na Câmara Municipal indica que a única estrada de acesso à Campanas de Baixo, via norte, continua condicionada, desde 04 de Janeiro, na sequência do desabamento de rochas, nas imediações de São Jorge.

“É tempo demais para a solução que continua a dar mais voltas do que deu a estrada volta-a-volta. Falta pressão do poder local, mais atenção e mais respeito por parte da governação do país”, afirma Luís Pires que foi contactado pela Inforpress sobre o seu posicionamento em relação à situação.

Segundo o ex-presidente da câmara, pontualmente, há queda de pedras, pelo que circular na passagem provisória representa também um grande perigo, para os condutores e peões, sublinhando que numa ilha vulcânica, com probabilidade de tremores de terra, entende ser pertinente uma abordagem mais científica da questão.

O Instituto de Estradas, o Laboratório da Engenharia Civil e demais especialistas em fiscalização deveriam examinar possíveis desabamentos futuros, já agora, desde Galinheiro, em São Filipe, a Sumbango, nos Mosteiros, sendo preferível, e se necessário, provocar quedas, do que ser surpreendido pelas pedras.

O antigo edil de São Filipe indica ainda que há quase três meses que a população de São Jorge e Campanas de Baixo está sem água, socorrendo-se do abastecimento “precário e insustentável”, através de camiões-cisterna.

Numa alusão à situação semelhante em Serra Malagueta, na ilha de Santiago, Luís Pires observou que as pedras foram retiradas rapidamente e questiona “onde é que ficou a voz do Fogo” e outras promessas de campanha.

JR/CP

Inforpress/Fim