Inicio Sociedade São Filipe: Associação Viver com Dignidade seleccionada para gerir mutuária de saúde,...

São Filipe: Associação Viver com Dignidade seleccionada para gerir mutuária de saúde, funerária e de crédito

São Filipe, 24 Fev (Inforpress) – A Associação “Viver com Dignidade” de São Filipe foi seleccionada para gerir o sistema mutuário de saúde, funerária e crédito, fundado pela organização não-governamental Bornefonden, nos municípios de São Filipe e Santa Catarina.
A associação “Viver com Dignidade”, dirigida pelo professor Pedro Fernandes Pires, ele que é também presidente da Associação Regional de Futebol do Fogo, foi seleccionada, na quinta-feira, de entre três associações que apresentaram propostas para assumir a gestão da mutuária de São Filipe.
Na sua proposta, Pedro Pires sublinhou que “o mutualismo é o sistema de apoio mútuo que se afigura como sendo a forma mais antiga de viver em comunidade”, tendo recorrido a uma passagem bíblica para sustentar a proposta, recorrendo ao Actos 2: 24 (tinham tudo em comum, vendiam suas propriedades e fazenda e repartiam conforme suas necessidades).
Segundo o responsável, após profunda reflexão, decidiu abraçar o projecto de encabeçar a lista da associação “Viver com Dignidade”, empregando toda a sua “energia, competência e experiência”, assim como da sua equipa, para, conjuntamente com outros parceiros, dar continuidade aos “projectos extraordinários” que a Organização Não-Governamental (ONG) Bornefonden vem desenvolvendo em Cabo Verde ao longo de vários anos.
Pedro Pires destacou que, pessoalmente, esteve empenhado neste projecto pois desde cedo aprendeu o valor da solidariedade social, e abraçou o projecto com único propósito de dar a sua “contribuição para que as gentes, mulheres, crianças e homens vivam com dignidade”.
Este promete, além de promover a mutuária de saúde, alargando a base de sócios e garantia a sustentabilidade do projecto, avançar também para outras áreas , como projecto de educação, através de apoio ao transporte escolar, propina escolar, material didáctico, continuação de apadrinhamento de alunos, apoio a habitação social , com forte enfoque as pessoas com mais dificuldades, criação de um crédito para fomentar as actividades geradoras de rendimento.
Promover formação nas localidades, assim como palestras subordinadas a diversos temas de interesse social e local, aproveitando os multiplicadores de informação, dinamizar o conselho de pais, criar um gabinete de apoio a vítimas de VBG e outro para acompanhamento e aconselhamento dos jovens, são outros propósitos do responsável.
No ano passado, nasceu a associação “Bem servir” dos Mosteiros, que assumiu os projectos, na sequência do programa da retirada da ilha da organização Bornefonden, programada para 2017, permitindo assim dar continuidade ao sistema mutuária, beneficiando as famílias mais carenciadas das comunidades.
Mais de 200 famílias dos três municípios da ilha estão integradas no sistema mutuário criado pela Bornefonden, beneficiando de apoio no sector da prestação dos cuidados de saúde.
Para entrar no sistema, as famílias ficam obrigadas a pagar uma jóia de 3.600 escudos e uma quota mensal de 300 escudos e com direito a cuidados de saúde desde aquisição de medicamentos, consultas, extracção de dentes e evacuação de todos os membros da família.
JR/JMV
Inforpress/Fim