Santo Antão: Praga de cães vadios preocupa população da Ponta do Sol

Ponta do Sol, 05 Set (Inforpress) – A população da cidade da Ponta do Sol e arredores está preocupada com os prejuízos que a praga de cães vadios tem vindo a provocar naquela localidade, sobretudo com a devastação de animais de criação.

“Vivemos afrontados com esta praga de ‘cotchôrr menhent’ (cães vadios) que ataca os nossos animais de criação”, disse Heriberto Duarte, em declarações à Inforpress, acrescentando que os cães matam os porcos e cabras mas sequer o fazem para matar a fome porque “matam e abandonam o animal morto”.

“Nós até entenderíamos se matassem para comer, mas matam apenas por matar”, disse Heriberto Duarte adiantando que as pessoas, na Ponta do Sol, vivem “numa afronta por causa desses animais” e teme que, qualquer dia, “comecem a atacar também as pessoas porque já parecem ‘mais lobos’ do que cães”.

A iniciativa de abater esses animais nocivos às pessoas e à saúde pública acabou por não surtir o efeito que se desejava porque algumas pessoas, que Heriberto Duarte apelida de “defensores de cotchôrr”, manifestaram-se indignados com essa prática.

Heriberto reconhece que a forma como estava a ser processado o abate desses cães vadios era algo violento, sobretudo porque as pessoas, incluindo crianças, presenciavam tudo, mas entende que se podia usar os “pastéis” (veneno) para abater os cães, de noite, e resolvia-se o problema da visão violenta.

“Mas medidas têm de ser tomadas porque acho que, neste momento, há mais cães vadios do que pessoas na Ponta do Sol”, concluiu Heriberto Duarte.

Várias pessoas dão conta de porcos e leitões mortos pelos cães além de cabras e outros animais cuja perda significa um golpe na economia de vários agregados familiares, não só na Ponta do Sol, mas também, um pouco por todo o concelho da Ribeira Grande.

HF/CP

Inforpress/Fim