Santo Antão: Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo expectantes quanto ao projecto integrado das pescas

Porto Novo, 14 Ago (Inforpress) – A Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo enalteceu, hoje, o impacto que o projecto integrado das pescas dessa comunidade piscatória, à volta de 200 mil contos, terá para a classe, a passar actualmente por “muitas dificuldades”.

O presidente da Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo, Isaías Pires, disse à Inforpress que a pesca nessa localidade, que enfrenta “dias difíceis”, “ganharia muito” com este projecto, caso venha, efectivamente, a ser implementado pelo Governo, a partir de Janeiro.

“Seria muito bom, porque a pesca no Tarrafal de Monte Trigo precisa de melhor atenção por parte do Governo”, sublinhou Isaías Pires, lembrando que, “há anos”, que os pescadores locais têm estado a alertar para a “situação difícil” por que a pesca nessa comunidade piscatória.

Além da melhoria das condições de conservação do pescado, a Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo tem estado ainda a defender a necessidade de melhorar a frota pesqueira local, para que “os homens do mar” possam tirar maior proveito do potencial que essa zona possui a nível das pescas.

Isaías Pires lembrou que a Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo tem estado, nos últimos anos, à procura, sem sucesso, de financiamentos (mesmo junto à banca) para aquisição de uma embarcação de pesca semi-industrial para, sobretudo, atender à situação de desemprego da maioria dos pescadores locais.

Por isso, avançou, “seria benéfico” que o Governo, no quadro desse projecto, ajudasse os pescadores a adquirirem o tão desejado barco de pesca para empregar parte dos pescadores e permitir à classe tirar melhor proveito do banco de pesca do Noroeste, que fica, precisamente, nas imediações do Tarrafal de Monte Trigo.

Tarrafal e Monte Trigo, uma das principais comunidades piscatórias de Santo Antão, receberá, dentro de seis meses, um projecto integrado de desenvolvimento das pescas, já com financiamento garantido pelo Governo, em 200 mil contos.

Se trata de um projecto que vai abarcar aspectos como a criação de infra-estruturas (arrastadouros de botes), a melhoria da captura, com a aquisição de embarcação semi-industrial, além da conservação e comercialização do pescado.

O projecto, anunciado, em Julho, pelo primeiro-ministro, durante uma visita a Tarrafal de Monte Trigo, visa criar as condições, em termos de infra-estruturas e melhoria de embarcações, que permitam aos operadores tirarem “todas as vantagens” do potencial existente no domínio das pescas nessa zona.

Além da melhoria das embarcações, o Governo pretende ainda, com este projecto, dar atenção às questões de financiamento, formação, transformação e comercialização do pescado.

Os pescadores das diferentes comunidades piscatórias em Santo Antão têm estado a queixar-se da falta de equipamentos de apoio à actividade pesqueira na ilha, designadamente de pequenos caís de pesca.

Além de Tarrafal de Monte Trigo, os pescadores na cidade do Porto Novo e de Penedo de Janela têm estado, igualmente, a reivindicar construção de tais equipamentos.

JM/CP

Inforpress/Fim