Santo Antão: Governo lança concurso para realização de estudos sobre o porto do Porto Novo

Porto Novo, 02 Set (Inforpress) – O Governo já lançou o concurso para a realização dos estudos sobre o porto do Porto Novo, que vão abarcar aspectos relativos à ampliação e a condições de navegabilidade desta infra-estrutura portuária, construída em 1962.

O anúncio foi feito, hoje, no Porto Novo, pelo vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, no âmbito de uma visita de três dias efectuada a este município santantonense que, este domingo, comemorou os 56 anos da sua criação.

Olavo Correia, que falava na sessão solene da Assembleia Municipal do Porto Novo, explicou que o Governo, com os estudos sobre o porto, pretende conhecer as necessidades de investimentos quer a nível da expansão, quer na melhoria das condições de navegabilidade do caís.

“Já lançamos o concurso para a realização dos estudos para este porto e, em função dos estudos, estaremos abertos e disponíveis  para trabalhar,  rapidamente, uma solução para o porto do Porto Novo”, notou.

O porto do Porto Novo recebeu, em 2010, obras de expansão e modernização, passando a dispor de 245 metros lineares de berço de acostagem e capacidade para receber navios cruzeiros de médio porte.

O porto do Porto Novo foi dotado ainda de uma gare marítima, a maior e considerada a mais moderna de Cabo Verde, com capacidade para acolher 250 mil passageiros/ano, em condições de conforto, dispondo, também, de duas rampas roll-on/roll-off, uma de betão e outra metálica.

Os autarcas em Santo Antão têm estado a pedir a realização de uma segunda fase da ampliação do porto, por forma a ter condições de receber navios de cruzeiros de maior porte.

Os autarcas santantonenses desejam ver “enquadrada” no projecto de criação Zona Económica Especial da Economia Marítima em São Vicente a ampliação do porto do Porto Novo, que representa, no seu entender, “um compromisso do Governo para com Santo Antão”.

Em Junho, numa visita a Porto Novo, Olavo Correia admitira que o porto “está servir e bem” a ilha de Santo Antão, reconhecendo, contudo, a necessidade da sua ampliação.

Governo acredita que turismo de cruzeiros será “um mercado importante” para Santo Antão, que poderá passar a receber 10 a 20% dos navios que aportarem o futuro terminal de cruzeiros São Vicente, infra-estrutura dimensionada para servir a região norte do arquipélago.

Este porto, conforme a Empresa Nacional da Administração do Portos (Enapor), tem exercido “um papel estimulante e promotor de negócios”, dinamizando, assim, a economia da ilha de Santo Antão.

Esta infra-estrutura portuária, segundo ainda a Enapor, tem desempenhado “um papel estimulante e promotor de negócios, assegurando uma interface dos transportes terrestres e marítimos ininterrupta e célere no tráfego de cabotagem”, principalmente com São Vicente.

JM/CP

Inforpress/Fim