Santo Antão: Governo e municípios esperam resolver em dois anos problemas de água, saneamento e requalificação urbana

Porto Novo, 27 Jun (Inforpress) – Os constrangimentos por que passa Santo Antão a nível do saneamento, abastecimento de água e requalificação urbana deverão estar resolvidos dentro de dois anos, no quadro de um programa cujo financiamento está assegurado pelo Governo.

O programa, que começa a ser implementado entre finais deste ano e princípios de 2019, visa resolver, até 2020, o problema de gestão e tratamento de esgotos, bem como a melhoria das redes de abastecimento de água, mas também a requalificação das orlas marítimas, investimentos a rondar um milhão e meio de contos.

A nível do saneamento, o Governo confirmou já o lançamento, em Dezembro, do projecto de extensão e construção da estação de tratamento de águas residuais no Porto Novo, uma informação confirmada pelo vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, na sua recente visita a Santo Antão neste mês de Junho.

Até finais de 2018, o Governo estará também a lançar o projecto de melhoria das redes de distribuição de água nos três municípios. Prevê-se com isso reduzir as perdas e melhorar a cobertura das populações com água canalizada.

O presidente da câmara do Porto Novo, Aníbal Fonseca, disse acreditar que o arranque efectivo das obras de extensão da rede de esgotos e construção da estação de tratamento de águas residuais acontecerá durante os primeiros três meses de 2019.

Segundo o autarca, projecto estará a ser lançado até Dezembro, prevendo-se o arranque efectivo das obras entre os meses de Janeiro e Fevereiro de 2019.

O Governo pretende também, nos próximos dois anos, fazer de Santo Antão “uma ilha requalificada”, com intervenções a nível das cidades e das orlas marítimas.

Para os municípios do Porto Novo e Paul, os investimentos previstos na requalificação das orlas marítimas deverão rondar, até 2020, um montante de 260 mil contos.

Ambos os projectos têm financiamento assegurado através do fundo do ambiente e estão, nesta altura, a ser ultimados com vista ao arranque das obras até aos princípios do ano que vem.

No caso da orla marítima do Paul, o edil António Aleixo disse à Inforpress que se trata de um projecto estimado em 120 mil contos, que vai ser materializado por fases nos próximos anos.

Já em relação a Porto Novo, a edilidade espera até Janeiro de 2019 o arranque da primeira fase do projecto da orla marítima, num investimento a rondar os 140 mil contos.

“Já foi concluído o projecto técnico e esperamos em Janeiro de 2019 iniciar as obras”, informou o presidente da câmara.

JM/CP

Inforpress/Fim